Análise TeK: Neffos C5 é o companheiro ideal para o utilizador prático e pouco exigente

Este é um telemóvel “low cost” que serve perfeitamente o utilizador básico no seu dia-a-dia, mas falha redondamente na qualidade de câmara. É apenas um dos primeiros passos da TP-Link no mercado dos smartphones.

Neffos C5

Com um ecrã HD de 5 polegadas e com uma resolução de 1280 x 720, o Neffos C5 foi apresentado pela TP-Link em janeiro durante a CES, em Las Vegas. Cerca de sete meses depois chegou ao mercado português.

Este aparelho está disponível a partir de 149 euros, um preço na categoria dos “smartphones de baixo custo”.

Começamos pelo preço porque é importante contextualizar as funcionalidades com o que vai pagar pelo telemóvel. De modo geral, o smartphone é um dispositivo prático, Dual SIM, com uma autonomia razoável que permite uma utilização ativa durante o dia todo e um acesso sem problemas ao email e a outras aplicações não muito pesadas.

No entanto, notámos que algumas aplicações acusavam bloqueio logo no arranque, embora a navegabilidade na internet fluísse sem “engasgos”, o que se deve à tecnologia de conectividade 4G. Este último elemento é mesmo um ponto a favor deste smartphone, que, embora possa ser considerado de entrada de gama, pode ser comparado a dispositivos de gama média com esta característica.

Quanto à memória, o Neffos C5 não é dos melhores, com uma RAM de 2GB, e 16GB de armazenamento, expansível até 32GB com microSD. Apesar de não ser nada de extraordinário neste campo, consideramos que pode servir na perfeição aqueles que não pretendam armazenar as suas vidas inteiras – ou listas infindáveis de filmes em alta qualidade – no aparelho.

Mas vamos ao que interessa: a câmara. Apesar das qualidades descritas, o Neffos C5 não consegue ter a melhor classificação nesta área: a principal é de 8MP e a frontal é de 5MP.

Este não é, de todo, a escolha ideal para quem pretende substituir a sua máquina fotográfica por um smartphone. No entanto, serve muito bem para quem apenas pretende utilizá-lo para fazer o registo visual de alguns momentos.

O foco automático é bastante temperamental e praticamente uma “ferramenta placebo”, ou seja, é um pouco complicado conseguir uma imagem realmente nítida. Qualquer pequeno movimento arruína a fotografia.

E o modo dito “inteligente” pouco ajuda. Esta funcionalidade tem como propósito ajudar o utilizador a conseguir a melhor imagem tendo em conta as condições de luminosidade em que se encontra. Mas percebemos que isso de pouco serviu, porque num ambiente com bastante luz as imagens ficavam “queimadas”, e com pouca mal se distinguia o objeto da fotografia.

Outro aspecto que nos deixou “a pulga atrás da orelha” está relacionado com o GPS. Usámos como teste a app Pokémon Go. Algo que nos surpreendeu foi o facto de, sentados na nossa redacção no Largo de São Sebastião da Pedreira, termos, inúmeras vezes, visto o nosso poké-treinador a correr de um lado para o outro, desde Picoas até ao jardim da Fundação Calouste Gulbenkian.

O Neffos C5 tem um design agradável e relativamente moderno, se bem que pouco destoa do que se tem vindo a fazer no mercado. Mas há que ser justo e dizer que não há muito espaço para fugir da convencional forma retangular.

O ecrã de 5 polegadas está também em linha com as tendências que se têm observado, mesmo entre as grandes marcas, pelo que lhe dá um ar de um telemóvel que está acima da sua categoria. No entanto, as molduras superior e inferior são consideravelmente amplas e roubam bastante espaço útil ao ecrã.

Ainda sobre este assunto, a qualidade de 293 ppi não é má, tendo em conta que a partir dos 300 ppi o olho humano já é praticamente incapaz de distinguir os pixéis da imagem.

O brilho do ecrã também permite conseguir uma boa visualização mesmo quando a luminosidade circundante é elevada.

Devemos referir que, com 141 gramas e com uma forma que cabe bem na mão, este telemóvel é fácil de transportar e bastante prático.

O que não é tão positivo é o facto de a coluna de áudio ser na parte traseira do telemóvel, porque o som é abafado quando o ecrã está virado para cima e o equipamento está a ser segurado com a mão – o que é a norma.

Há que mencionar também que retirar a tampa do telemóvel para ter acesso à bateria não é a tarefa mais fácil do mundo e pode ser um pouco frustrante. É preciso tentar e tentar (cuidado senhoras para não lascarem ou partirem as unhas).

A funcionalidade "Otimização do Sistema" é um dos pontos positivos do Neffos. Esta ferramenta permite gerir facilmente as aplicações e manter a memória "limpa", além de ajudar a poupar bateria.

O TeK experimentou o Neffos C5 na variante “Cinzento Escuro”, mas também está disponível em “Branco Pérola”.

Em suma, o Neffos C5 é recomendável para os utilizadores pouco exigentes e que não pretendem usar o telemóvel como substituto da máquina fotográfica. Tendo em consideração o rácio qualidade-preço, este não é um mau telemóvel. Além disso, em tempos de crise, por vezes há que sacrificar a qualidade em prol do custo total.

É preciso ter em mente que este é somente um dos primeiros passos da TP-Link no mercado do smartphones. Por isso, "melhores dias virão"...provavelmente.

Nokia 3310

O Nokia 3310 recupera a nostalgia de uma das primeiras gerações de telemóveis. Está disposto/a a comprar um?

Mais informação

  • Sim e vou abandonar o meu smartphone

    19%

  • Sim, mas só para jogar Snake

    10%

  • Vou oferecer a alguém

    10%

  • Não, é só um "dumbphone"

    59%