A maioria não vai além da resolução Full HD na captação de vídeo, visto que o objetivo principal destes quadricópteros de bolso passa mesmo apenas pelo que o próprio nome deixa antever: registar fotografias.

Mas os selfie drones são capazes de fotografar de forma bastante diferente e eficaz, não fossem verdadeiras câmaras digitais voadoras. E isto apesar de não apresentarem funcionalidades avançadas por aí além no campo das definições e parâmetros de captação de imagem.

Estes são gadgets pensados para uma utilização simples e direta, sem grandes “ambições” nos capítulos da qualidade de imagem e criatividade fotográfica. Por outro lado, também não estão ao nível dos drones que conhecemos pelo preço elevado – quase sempre acima dos 1.000 euros –, com funcionalidades de topo.

Os selfie drones são dispositivos mais pequenos e leves que os drones convencionais, normalmente não incluem mecanismos de estabilização de imagem, fotografam e filmam em resoluções baixas, apresentam uma qualidade de construções simples e os alcances e velocidades a que se descolam são reduzidos.

São, no fundo, verdadeiros “brinquedos” e não equipamentos pensados para utilizações entusiastas e/ou profissionais no campo da captação de imagens aéreas, tal como acontece com “titans” como os DJI Mavic Pro, Phantom Pro 4, Inspire 2 ou outros drones com capacidades reconhecidas a vários níveis.

Isto apesar de existir agora um modelo que, apesar de não se auto-entitular de forma linear um selfie drone, aproxima as características de um modelo do género, mais barato, às dos mais caros e situados no topo das gamas. Estamos a falar do novo DJI Spark, de que já falámos aqui pelo Tek e que apresentamos de novo a abrir a galeria acima.

Para que servem?

Para que servem então os selfies drones? Fácil: para fazer isso mesmo: tirar fotografias ao respetivo utilizador e a quem está com ele no momento. E também para fazer vídeos “simples” tendo os mesmos destinatários como centro das atenções.

Isto não quer dizer que não possam ser usados para captar imagens aéreas, de qualquer forma, tendo em consideração os limites a que não conseguem escapar. A autonomia, por exemplo, é um deles – até o novo DJI Spark não vai além dos 16 minutos de voo. E da resolução Full HD na captação de vídeo, a 30 fps apenas.

Para quem são?

Resumidamente, os selfies drones destinam-se a quem é fã de tecnologia e gosta de captar selfies, fotos e vídeos um pouco mais originais e sob outra perspetiva, neste caso aérea.

Ou a instagramers, vloggers ou bloggers um pouco mais ousados, que preferem acrescentar um toque mais distinto aos conteúdos que produzem e divulgam via Web.

Por outro lado, este tipo de drone, especialmente agora que existe o DJI Spark, é uma fantástica porta de entrada para o universo dos drones mais avançados. Por serem mais baratos e simples de operar, com menos funções e funcionalidades, é possível que permitam a quem nunca pilotou um drone passar por uma espécie de “estágio” antes da aquisição e “exploração” de um drone mais “profissional”.

Seja como for, características invulgares e divertidas é o que não falta aos vários modelos que temos na galeria acima. Da Hover Camera ao Xiro Explorer Mini, todos eles vão cumprir com eficácia o objetivo principal: tornar as suas férias mais divertidas.