E é precisamente por "esse tal" que promete dar que falar que começamos, não fosse esse smartphone uma das grandes apostas da BlackBerry para os meses que se aproximam. Isto apesar do atraso que se está a registar… O novo KEYone, com lançamento previsto inicialmente para maio e agora sem uma data concreta para surgir no mercado, foi um terminal bastante destacada pela TLC no Mobile World Congress de fevereiro em Barcelona.

Como é fácil perceber pela galeria abaixo, na qual encontra todos os pormenores deste smartphone, o KEYone faz regressar o mediático teclado Qwerty dos BlackBerry de maior sucesso, combinando-o com um ecrã tátil de 4,5 polegadas com 1620x1080 pixeis de resolução e revestimento Corning Glass 4. O preço, esse, vai rondar os 600 euros, menos do que o seu “irmão” Priv, que também pode ficar a conhecer melhor neste conjunto de terminais com teclado físico.

Mas haverá mais vantagens em manter um teclado físico num smartphone dos tempos modernos? A resposta é sim e não. Sim, porque do ponto de vista ergonómico há ainda justificação para ter este elemento, principalmente se pensarmos que certos modelos de telemóvel, mais antigos ou mais baratos, continuam à venda e são apreciados por uma franja mais “envelhecida” de utilizadores, aqueles que ainda não se adaptaram às “maravilhas” dos toques no ecrã.


Depois, sob uma perspetiva de inovação e versatilidade e eficácia de utilização, está mais do que provada de que um teclado físico não traz qualquer vantagem a um smartphone topo de gama, por exemplo.

Não só devido ao facto de o que fazemos com o smartphone requerer acima de tudo um ecrã grande e com boa resolução – e quanto maior, melhor! –, mas também por sabermos já que os sistemas operativos móveis (e outras apps adicionais, se preciso for…) conseguem reproduzir perfeitamente qualquer teclado de forma virtual. E muito mais funcionais do que qualquer conjunto de teclas físicas, sem sequer corremos riscos de um dia uma delas… cair.

Seja como for, a tendência, acreditamos, é para que este segmento de smartphones desapareça por completo, apesar dos esforços da BlackBerry. A inovação não “perdoa” e os teclados físicos nos terminais móveis já fazem parte do passado, isso é quase certo.

Espreite na galeria acima alguns modelos que ainda "atacam" o segmento específico de quem não vive sem botões, sem esquecer o icónico Nokia 3310, de regresso com mais originalidade que nunca.