SAPO Tek

Publicado por Casa dos Bits 12 Jan 2012 às 14:30

Texto maior Texto mais pequeno Mail Imprimir

Sugestão TeK: As melhores ferramentas para o novo Acordo Ortográfico

Goste-se ou não, já nos habituámos a ler “direto”, “ação” e “atividade”. O novo Acordo está cada vez mais presente na escrita e o processo de transição é gradual e (aparentemente) inevitável. Saiba quais as melhores ferramentas para evitar erros.

O processo de transição para o Acordo Ortográfico de 1990 parece ser inevitável. As novas regras já entraram em vigor em muitas empresas e meios de comunicação, com a Agência Lusa, o jornal Record e o semanário Despertar - o mais antigo jornal de Coimbra – a alistarem-se como pioneiros ainda em Janeiro de 2009, mas sendo seguidos por muitas outras publicações e mesmos canais de televisão. Nas escolas este é também um ano de transição, embora muitos manuais ainda não tenham adotado o acordo, e Janeiro de 2012 foi a data marcada para a mudança na Administração Pública.

O SAPO e todos os canais da rede – incluindo o TeK – marcaram a mudança para Julho de 2011 e desde então temos convivido na redação com as ambivalências de algumas regras, e as inconsistências de ferramentas que levantam dúvidas quanto à formulação correta que, em vez de ajudarem, tornam (ainda mais) complicada a harmonização da escrita.

Apesar das múltiplas ferramentas que existem, e de que já demos conta em vários artigos publicados no TeK, nomeadamente sobre recursos online, é no dia-a-dia que as dúvidas se tornam mais prementes, mesmo com a utilização dos principais processadores de texto disponíveis mercado, que deixam várias “pontas soltas” nesta alteração da grafia.

Voltamos por isso ao tema, partilhando a nossa experiência para que possa evitar erros desnecessários e a duplicação de tarefas que complicam o processo de validação de documentos.

Para a maioria das pessoas a criação de um texto começa no processador de texto, ou eventualmente num programa associado às ferramentas de produtividade, como o programa de correio eletrónico, por exemplo. E é aqui que as correções devem ser feitas, independentemente da existência de vários recursos de que nos podemos fazer valer na Internet para tirar dúvidas, como o Portal da Língua Portuguesa.

O TeK já tinha dado conta de que os principais processadores de texto já implementaram as regras da nova grafia, mas há muitas falhas e inconsistências de sugestões de mudança dos vocábulos antigos que tornam todo o processo ainda mais “doloroso” para quem escreve e também para quem lê.

A Microsoft disponibilizou no ano passado, de forma gratuita, as ferramentas de correção ortográfica e gramatical para o Office, de forma a que tudo fique bem escrito no Word, nos emails e nas apresentações. Estas foram preparadas com o ILTEC e podem ser descarregadas a partir deste site, mas só para as versões do Office 2007 e 2010.

corretor ortográfico word Mas a experiência mostra que não é tudo fácil. Um dos problemas surge com a possibilidade de dupla grafia em algumas palavras, cuja escrita fica ao critério do utilizador, ou da empresa. O Office não permite a aplicação desta lista de palavras e por isso na mesma redação ou empresa uma pessoa poderá escrever “apocalíptico” e outra “apocalítico”, ou “aspecto” e “aspeto”. Neste último caso é provável que o Office aponte mesmo um erro, sugerindo o uso de "espeto", e induzindo um utilizador menos atento em erro, já que as duas formulações estão corretas.

Entre as sugestões incorretas está também a permissão de formas que já não são hifenizadas, e que o corretor do Office deixa passar, como "décimo-primeiro" ou "casa-de-banho", por exemplo, que agora perdem o hífen. Problema semelhante se passa com os clíticos, como "atribuí-lo-á", identificado como incorreto, quando está certo.

O LibreOffice, o pacote de aplicações open source para Windows, Mac e Linux , sofre de alguns problemas semelhantes. A opção neste caso foi de não permitir alternar entre os modos pré-acordo e pós-acordo, pelo que tem de instalar logo o corretor adequado, que pode ser encontrado aqui e foi desenvolvido pelo Projecto Natura em parceria com o ILTEC.

Não foi também prevista a seleção da forma preferida pelo utilizador no caso das duplas grafias, voltando a repetir-se a mesma questão apontada no Office para "apocalítico" e "apocalíptico", "setor" e "sector". E o processo é semelhante para as formas compostas e os clíticos, também apontados como erros em muitos casos.

Mesmo sem ser à “prova de bala”, o recurso a uma ferramenta de apoio, que trabalha em conjunto com o processador de texto e as restantes aplicações de produtividade, pode ser a solução certa para evitar estes problemas. O Flip da Priberam tem dado provas ao longo das várias versões da sua “resiliência” e tem sido atualizado para o novo Acordo desde 2009, suportando a compatibilidade com as aplicações do Office da Microsoft, com o OpenOffice/LibreOffice e software da Adobe. Atualmente é usado por muitas empresas e entidades públicas, como o Diário da República e publicações do Grupo Impresa, por exemplo.

A aplicação permite fazer a correção ortográfica de um texto e tem uma funcionalidade que faz a conversão automática de um texto, ou de uma parte selecionada, para a nova ortografia. Ao contrário do Office e do LibreOffice permite aos utilizadores fazerem a pré-seleção de uma lista de palavras preferenciais nos casos de dupla grafia e inclui ainda outras ferramentas, como o auxiliar de tradução, um dicionário e um dicionário de sinónimos.



Em caso de dúvidas pontuais pode sempre recorrer online ao conversor ortográfico da Priberam que disponibiliza também um Guia gratuito para a Nova Ortografia .

Como alternativa pode usar o conversor da Porto Editora , mas não se esqueça de que a partir do momento em que adotar o novo Acordo convém que todos os documentos tenham uma grafia harmonizada, o que não é compatível com soluções ad hoc para dúvidas isoladas, até porque o hábito vai fazer com que continue a usar muitas das formas de grafia antigas sem se aperceber…

Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Fátima Caçador




Vídeos

Votações

A guerra nos smartphones faz-se cada vez mais no segmento de baixo preço e no de alta gama. Quanto investiu no equipamento que tem atualmente?

VotarVer Resultados

Glossário

VoIPVer

Telecom. Acrónimo de Voz sobre IP (Voice Over IP). Tecnologia que permite converter as comunicações de voz em pacotes digitais que são transmitidos em redes IP, usando normalmente a Internet. Esta ...

Glossário

Tags

3392 resultados
1643 resultados
1563 resultados
768 resultados
432 resultados