Depois de ter lançado uma versão de pré-visualização do Android Nougat para programadores, a Google está a repetir a iniciativa este ano com aquele que, por enquanto, se chama apenas O, Android O.

O lançamento oficial do sistema operativo ainda está a vários meses de distância, mas há algumas características que começam já a ser oficializadas graças a esta primeira espreitadela. Um dos primeiros melhoramentos, e que é já um clássico que se afirma de ano para ano, é o melhoramento do tempo útil das baterias. Desta vez, a Google afirma que a ambição será concretizada graças uma redefinição daquilo que uma app poderá fazer em segundo plano, limitando alguns processos como a atualização da localização dos utilizadores.

Nas notificações, o Android O vai agora geri-las de acordo com o tema em que se inserem, agrupando-as em secções temáticas e reduzindo as listas intermináveis que por vezes se acumulam nestes separadores. Tendo em conta que de uma mesma aplicação podem ser recebidos alertas referentes a coisas tão diferentes como mensagens e marketing, os utilizadores vão poder passar a filtrar o tipo de notificações que recebem de cada uma das apps instaladas.

Ainda neste campo, a Google vai introduzir a opção de silenciar as notificações durante certos períodos de tempo, podendo adiá-las para uma altura em que seja mais oportuno.

Prevendo a massificação da utilização de auriculares Bluetooth, a tecnológica de Mountain View vai também melhorar o processamento de som com codecs de alta qualidade para equipamentos wireless.

O aspecto do OS não deverá sofrer grandes alterações para além da reformulação de alguns pormenores, mas, por outro lado, os programadores vão ter o poder de adaptar o design dos ícones das suas aplicações ao tema que o utilizador tiver aplicado no seu sistema, o que, por sua vez, faz antever uma maior importância dos temas na próxima edição do Android.

Para aplicações como o YouTube e o Vimeo haverá a opção de reduzir vídeos a janelas secundárias flutuantes que possam atuar em paralelo com outras aplicações, eliminando assim a necessidade de recorrer a aplicações externas para o efeito. Por outro lado, será também integrada a possibilidade das aplicações darem alertas aos utilizadores através de uma janela pop-up.

Os programadores vão poder testar esta primeira versão do Android O num emulador para desktop ou num dos equipamentos da Google que o suporte (Nexus 5X, Nexus 6P, Nexus Player, Pixel, Pixel XL, Pixel C). O software está disponível para download através deste link.