MWC17: Huawei P10 é o novo porta aviões da marca à conquista da liderança do mercado

(Atualizada) O novo smartphone da Huawei é mais um argumento na escalada de posições no mercado de consumo que a marca tem vindo a fazer. Para além do design e da capacidade volta a destacar-se a fotografia, com a Leica.

tek huawei p10

As confirmações já tinham sido feitas pela própria marca: ao contrário do que tem acontecido noutros anos, a estrela da companhia no MWC é o topo de gama da linha P, desta vez o P10. No Mobile World Congress a Huawei tem apresentado sobretudo acessórios, como os Watch em 2015 e o MateBook em 2016. Mas este ano há um espaço adicional aberto pelo recuo da Samsung na apresentação do novo Galaxy S8.

O novo Huawei P10 continua a aposta na parceria com a Leica para as câmaras, que tem dado bens resultados e tem sido bem acolhida pela crítica e pelos utilizadores, e coloca um sensor duplo traseiro no dispositivo, uma das especificações mais interessantes do topo de gama.

"Muitos consumidores têm questionado como é que o P10 vai somar ao sucesso do P9 e como vai continuar a desenvolver a fotografia", explicou Andrew Garrihy, CMO Western Europe Region Consumer Business Group. A explicação foi dada por Richard Yu, CEO da Huawei Consumer Business Group, que apresentou os novos P10 e P10 plus, e as novidades que estão centradas no design, na utilização de materiais mais nobres, e em novas cores, entre as quais o Greenery e o Dazzling Blue, destacadas pelo Pantone Intitute.

A comparação com o iPhone era inevitável e não faltou na apresentação, focando-se no tamanho do ecrã, mas também na espessura do smartphone e na duração da bateria.

"Conseguimos fazer um telefone mais compacto, mas com mais bateria, justifica Richard Yu, que garante que consegue carregar a bateria em 30 minutos para uma duração de 1 dia e que a carga total dura 1,8 dias em "uso normal" com a bateria de 3.200mAh. No caso do P10 plus a bateria é de 3.750 mAh e a duração vai até aos dois dias completos, garante Richard Yu.

Por dentro conte com um processador um processador "da casa", o Kirin 960, com velocidades de 2,3 GHz, mas que ganha 15% em eficiência, defende o executivo da Huawei, que explica também que foi melhorada a tecnologia de rede para suporte ao 4,5 G.

Para os que estavam habituados aos modelos das gerações anteriores da gama P e da gama Mate da Huawei vão também sentir uma mudança significativa: a alteração do sensor de impressão digital para a parte da frente do telemóvel, mas com uma boa integração no vidro do P10.

Foco na fotografia 
Apesar do P9 e do Mate 9 já serem considerados por muitos os melhores smartphones a nível dos sensores e das câmaras, para o que contribui muito o trabalho com a Leica, a Huawei continua a adicionar alguns toques na fotografia profissional e de baixa luminosidade, e as novas câmaras têm um sensor de 20MP a preto e branco e 12 RGB e uma lente de f1.8.

O modo selfie ganha novo destaque, com a tecnologia Leica a assumir também presença na câmara frontal do P10. É um "estúdio de fotografia de trazer no bolso", explicam.

Entre as muitas novidades esperadas para o MWC, o lançamento do P10 era um dos mais aguardados, e o que gerou maior expectativa entre os leitores do TeK. Num inquérito realizado pelo TeK nas últimas semanas, 27% dos leitores responderam que é esta a marca que mais pode surpreender no MWC.

Para o mercado nacional o P10 de 64 GB, com 4GB de memória RAM, vai custar 649,9 euros, enquanto o P10 plus, com as  mesmas caracteristicas, vai custar 699,9 euros e o modelo de 128 GB e 6 GB de RAM chega aos 799,9 euros. O P10 chega às lojas no final do mês de março, enquanto o P10 plus deve estar à venda a 15 de abril.

 

Novos relógios mais smart

Na apresentação em Barcelona houve ainda espaço para a nova geração dos Watch, o Watch 2, mais sofisticados, com cerâmica e suporte avançado de telecomunicações, e a possibilidade de ter um cartão SIM nano para garantir a independência em relação ao smartphone.

No modelo "kitado" a bateria pode chegar aos 21 dias, garante a Huawei.

O modelo 4G custa 379 euros e para o Bluetooth o preço é de 329 euros, sendo a data prevista para a chegada a Portugal o mês de março.

Há ainda um modelo Porsch Design para quem quer um modelo mais exclusivo... e caro.

Um rumor que não se concretizou foi o da apresentação de uma câmara de 360º, mas quem sabe numa próxima conferência...

Acompanhe todas as novidades do Mobile World Congress com o TeK, que está no terreno em Barcelona a fazer a cobertura do maior evento de dispositivos móveis do mundo.

 

Nota da Redação: a informação foi atualizada no final da conferência que decorreu em Barcelona.

Foi adiconada mais informação sobre preços e dados de chegada ao mercado. 

Nokia 3310

O Nokia 3310 recupera a nostalgia de uma das primeiras gerações de telemóveis. Está disposto/a a comprar um?

Mais informação

  • Sim e vou abandonar o meu smartphone

    19%

  • Sim, mas só para jogar Snake

    10%

  • Vou oferecer a alguém

    10%

  • Não, é só um "dumbphone"

    59%