Swatch chuta Android para canto e avança com a criação do seu próprio sistema operativo

O CEO da marca suiça considera que há espaço para inovar na indústria dos smartwatches, mas, para isso as fabricantes têm de desenvolver os seus próprios sistemas operativos.

tek swatch

Em entrevista à Bloomberg, o CEO do grupo Swatch, Nick Hayek, afirmou que a empresa suiça está a desenvolver o seu próprio sistema operativo para wearables. Chutando o Android Wear para canto, Hayek disse considerar "que existe a possibilidade de inovar" no segmento, mas, para isso, "tem de existir um OS independente". O sistema vai alegadamente requerer "menos bateria" do que os atuais e "proteger melhor os dados dos utilizadores".

O grupo Swatch reúne marcas como a Tissot, a Omega, a Longines e, claro, a própria Swatch. O primeiro relógio a integrar este sistema operativo será um Tissot cujo lançamento fica agora agendado para 2018.

Hayek esclareceu que a empresa está a "pensar pequeno" na abordagem a este projeto e que está a desenvolver software que pode, mais tarde, ser licenciado a start-ups e outras empresas mais pequenas. Até agora, a empresa diz já ter recebido mais de 100 pedidos de esclarecimento acerca dos detalhes deste OS.

A criação de um sistema operativo concorrente aos estabelecidos afigura-se sempre um problema para os programadores. Ao design e à funcionalidade, juntam-se também os acordos de compatibilidade, a interação com aparelhos de outros sistemas e as aplicações disponíveis. Se a empresa não conseguir acertar nestas últimas partes, será difícil singrar.

Nokia 3310

O Nokia 3310 recupera a nostalgia de uma das primeiras gerações de telemóveis. Está disposto/a a comprar um?

Mais informação

  • Sim e vou abandonar o meu smartphone

    19%

  • Sim, mas só para jogar Snake

    10%

  • Vou oferecer a alguém

    10%

  • Não, é só um "dumbphone"

    59%