Nas últimas semanas os rumores sobre as características do novo smartphone foram mais do que muitos, como o Tek foi dando conta, e a apresentação de hoje em Londres serviu para confirmar a maioria das informações que já tinham “escapado” para a comunicação social. E por isso mesmo trouxe poucas surpresas.

“Estamos orgulhosos com o design e a tecnologia do P9”, destacou Richard Yu, CEO do Consumer Business Group, na apresentação em Londres. Depois de já ter investido muito na fotografia, a Huawei quer também reinventar esta área, em conjunto com a Leica, atingindo um novo patamar na fotografia artística.

Com uma câmara traseira dupla, que garante maior ângulo na fotografia e a compensação em situações de baixa luminosidade, o Huawei P9 apresenta um ecrã de 5,2 polegadas, AMOLED, um design muito próximo dos modelos da mesma linha, mas agora mais arredondado, e aposta num chassi em metal escovado.

Por dentro está a capacidade de engenharia da Huawei que mais uma vez consegue conquistas a nível de performance e bateria. O processador é um Kirin 955 de oito núcleos, superior ao que o Mate 8 traz, e a performance é garantida por 3 GB de RAM, e uma bateria de 3000 mAh. As características diferem no modelo de maior dimensão, o P9 Plus, que a marca também confirmou hoje.

Ao contrário do que se chegou a especular, o P9 não vai ter o mesmo ecrã Quad HD que o Nexus 6P, também fabricado pela Huawei, e deve manter-se pelo Full HD, sobretudo porque os ganhos de qualidade não justificam o sacrifício da bateria.

 

 

A fotografia em destaque

Como é habitual, o iPhone e os Galaxy S7 da Samsung são os principais concorrentes e alvo de comparação, ou não fossem os líderes de mercado. O tamanho, o peso, desempenho e bateria são escrutinadas na comparação, mas sobretudo as capacidades de fotografia.

É aqui que o Huawei P9 se quer diferenciar, com a mais-valia da parceria com a icónica marca Leica, e a câmara dupla é apenas o início de uma das ferramentas a que os utilizadores dão mais valor num smartphone. Com um sensor de 12 megapixels nas duas câmaras traseiras a Huawei garante que quer levar a fotografia a uma nova dimensão.

Com os dois sensores a Huawei assegura ter 90% mais de luz do que o Galaxy S7 e 270% mais do que o iPhone S6, o que se reflete na qualidade da imagem.

Como já acontecia noutros modelos anteriores a Huawei não poupou esforços para adicionar rapidez, funcionalidades extra e modos de captação de fotos, assim como filtros e outras “mariquices” para quem quer explorar ao máximo a fotografia. E para depois partilhar intensamente os resultados, claro. Há o Leica Experience, o professional mode, com a possibilidade de controle total manual, e novos modos de fotos a preto e branco.

Conte ainda com uma nova geração optimizada de sensor de impressão digital e melhorias na engenharia de rede, com a integração de três antenas para encontrar sempre o melhor sinal.

E a bateria não podia ser esquecida, com 3000 mAh de capacidade que permite maior duração mas que também suporta carregamento rápido, uma tecnologia na qual a Huawei tem apostado.

Os novos Huawei P9 e P9 Plus vão estar à venda no dia 4 de maio e os preços de venda no mercado livre são de 599 e 749 euros, respetivamente.

 

Nota da Redação: Foi corrigida a referência ao processador, que é um Kirin 955 e não 950. Foi ainda adicionada a informação do preço e mais imagens.