Depois de ter abandonado a lógica modular do G5, apresentado no MWC de 2016, a LG volta a surpreender com o novo G6, sobretudo pelo design e pelo ecrã, como já era antecipado nos muitos rumores que surgiram nas últimas semanas.

Ocupando cerca de 90% da parte frontal, o ecrã é grande, muito grande, com uma dimensão de 5,7 polegadas, resolução QHD+, um formato 18:9 e tecnologia Dolby Vision. Mas por dentro as mudanças não são muitas, com o processador Snapdragon 821, da Qualcomm, a dominar, o sistema operativo Android 7.0 e áudio quad-DAC.

O novo dispositivo "porta-estandarte" da fabricante de Seul é à prova de água e conta com um corpo de alumínio, sendo que a face frontal é praticamente composta apenas pelo ecrã, sem grandes molduras.

"Consumidores querem um ecrã maior, mas não um telemóvel maior", acredita Juno Cho, presidente da divisão de dispositivos móveis da LG. Como a empresa já sublinhou inúmeras vezes, o G6 foi desenvolvido para “caber na mão”.

No que diz respeito às câmaras, a LG volta a apostar no sensor duplo e numa resolução de 13 MP.

Outros traços que definem o novo G6 são a entrada para auriculares (uma característica que já foi colocada de lado por concorrentes como a Apple), a capacidade para carregamento sem fios, um leitor de impressões digitais e um encaixe USB-C.

Numa referência velada à rival Samsung e a toda a polémica que girou em torno do phablet Galaxy Note 7, a LG revela que integrou tecnologia de dispersão de calor nos novos G6, garantindo uma maior segurança dos consumidores.

Embora não exista ainda uma confirmação oficial, espera-se que o novo dispositivo chegue às prateleiras das lojas ainda durante o primeiro trimestre deste ano, com um preço estimado de 600 dólares (cerca de 568 euros). Este valor deixa mais do que evidente que a tecnológica sul-coreana está de olhos postos nos segmentos mais altos e premium do mundo dos smartphones.

Depois de o Note 7 ter sido obrigado a “bater em retirada”, a liderança do mercado dos smartphones tem estado sob o olhar atento das marcas que têm sido eclipsadas pelo sucesso dos dispositivos da Samsung. Mas agora a LG tem à sua mercê uma excelente oportunidade para tentar subir na tabela dos maiores nomes do mundo mobile, "à boleia" do novo aparelho. Isto é, se o rival e tão aguardado Galaxy S8 - que se espera que seja também revelado durante o Mobile World Congress em Barcelona - não chegar lá primeiro.

Acompanhe todas as novidades do Mobile World Congress com o Tek, que está no terreno em Barcelona a fazer a cobertura do maior evento de dispositivos móveis do mundo.