A Piaggio Fast Forward, uma startup sediada em Boston que pertence à empresa que criou a Vespa, lançou o seu primeiro veículo, um “veículo de carga desenhado” com a “mesma segurança, balanço, dinâmicas de veículo e performance que iria esperar de uma mota ou de um carro”.

O Gita é uma ‘caixa’ azul com uma roda de cada lado e tem como principal objetivo carregar e transportar os bens do utilizador, podendo a pessoa andar com as mãos livres na rua. Este droid tem a possibilidade de seguir o utilizador ou de operar autonomamente num ambiente mapeado.

Segundo o site DesignBoom, a Piaggio sugere também que o Gita pode passear o cão, entregar encomendas ou carregar as mercearias. O equipamento tem múltiplas câmaras embebidas, cerca de 66 centímetros de altura, pode carregar cerca de vinte quilogramas e atingir velocidades na ordem dos 35 quilómetros por hora. A empresa garante ainda que tem uma autonomia de 8 horas para utilização contínua.

Sasha Hoffman, diretora de operações da Piaggio Fast Forward, explicou que o modo de seguir pode aliviar alguns problemas que os veículos autónomos enfrentam. Segundo o TechCrunch, Hoffman afirma que por mais inteligentes que as máquinas sejam, ainda não são tão inteligentes como um humano.

“Ao andar numa rua e decidir desviar para evitar bater num ciclista ou num cão, por exemplo, as pessoas tomam decisões éticas a todo o momento, algo que um carro autónomo não faz”, explica a diretora de operações.

“Se um dispositivo seguir uma pessoa então é a pessoa que manda e tem o poder de tomar as decisões mais importantes consoante os movimentos do robot”. O Gita pode ser utilizado dentro de portas, mas, caso não seja bem-vindo numa loja, por exemplo, pode ficar “estacionado” na rua de forma segura. O equipamento requer uma impressão digital e um código para o abrir e para começar a andar.