Os alunos do secundário que guardaram as candidaturas para a 2ª fase de acesso ao ensino superior têm agora maior probabilidade de ingressarem numa Universidade ou num Instituto Politécnico. Tal como estava previsto, no dia 21 de setembro foram publicadas as vagas adicionais, libertadas por falta de inscrição dos alunos colocados na primeira fase ou através de vagas adicionais.

Na primeira fase foram disponibilizadas a concurso mais de 50 mil vagas, mas no final da primeira fase só ficaram colocados cerca de 42,9 mil alunos, o que deixou por preencher cerca de 8 mil lugares em cursos do ensino superior, a utilizar por alunos que fizeram os exames do secundário na segunda fase.

Mas agora há mais vagas. Algumas Universidades e Politécnicos que tinham esgotado todas as colocações disponibilizadas na primeira fase, completando o quadro, têm agora lugares disponíveis para quem se quiser candidatar a esses cursos.

Mesmo Engenharia Física Tecnológica e Engenharia Aeroespacial no Instituto Superior Técnico, em Lisboa, que não tinham qualquer vaga livre e foram este ano os cursos com média mais alta, têm agora lugar para 1 e 2 alunos, respetivamente.

A lista completa publicada pela DGES mostra as novas vagas criadas, e é possível verificar curso a curso a razão pela qual foram criadas as novas vagas, por falta de inscrição ou criação de 1 nova vaga de acordo com as regras. 

Os números não estão claros em relação à quantidade de vagas que tinha sido anunciado a 10 de setembro, mas o Tek fez as contas e verifica que há agora mais 4,7 mil lugares para quem quiser ingressar no Ensino Superior, a grande maioria em Institutos Politécnicos.

Até ao dia de ontem, mais de 17 mil alunos já apresentaram a sua candidatura na 2ª fase, mas podem ainda alterar as suas preferências até final do dia de hoje na plataforma online.

Os resultados da 2ª fase são divulgados a 29 de setembro e é provável que fiquem ainda vagas por preencher, que serão disponibilizadas na 3ª fase ou através de concursos locais que diversas instituições promovem, sobretudo os institutos politécnicos.

 

Nota da Redação: Foi adicionada informação ao texto.