Barcelona está prestes a receber uma das maiores feiras de tecnologia do mundo. Para além dos telemóveis inteligentes, as empresas vão apresentar tablets, wearables, aplicações e outros gadgets e tecnologia que vão, certamente, ser faladas nos próximos meses pela sua inovação (ou falta dela).

Como é habitual, a Samsung está entre as marcas mais focadas pelos media. Depois dos problemas com o Galaxy Note 7, tudo indica que o S8 não vai ser apresentado no Mobile World Congress (MWC). A linha Galaxy S é, habitualmente, apresentada no evento espanhol, mas este ano a gigante sul-coreana deve ficar-se por novos tablets.

Segundo indicam os rumores, a linha Galaxy Tab S vai ter o seu novo membro apresentado em Barcelona. O Galaxy Tab S3 já surgiu na internet pela mão de Evan Blass. A acreditar pelo conhecido “leaker”, o Tab S3 vai ter um teclado e, segundo um site alemão, a S Pen vai voltar.

 

Em termos de especificações, o tablet deverá ter um ecrã Super AMOLED de 9,7 polegadas e um processador Snapdragon 820 da Qualcomm. Há quem diga que a Samsung também irá lançar um tablet com Windows 10, chamado de Galaxy Book, em tudo semelhante ao Tab S3, com a exceção do processador, que deverá ser o Kaby Lake i5 da Intel.

A outra sul-coreana, a LG, prepara-se para apresentar o seu novo topo de gama. O G6 vai estrear-se no MWC e a tecnológica tem apresentado vários detalhes e lançado vários teasers sobre o dispositivo. A grande diferença em relação ao seu antecessor, o G5, será a renúncia ao mercado de módulos, uma aposta que a LG fez no último ano, mas que não compensou.

Os primeiros rumores indicam que o ecrã irá ocupar cerca de 90% da parte frontal. A própria tecnológica corroborou, de certo modo, este rumor, afirmando que o dispositivo vai ter um “ecrã grande… que encaixa”. Já o tamanho do ecrã foi confirmado pela própria LG e será de 5,7 polegadas. De resto, o processador deverá ser o Snapdragon 821, da Qualcomm, deverá ter o Android 7.0 pré-instalado e o áudio deverá ser quad-DAC. Em termos de câmara, a LG deve continuar o setup colocado no G5 e que é a grande tendência do atual mercado: um sensor duplo.

A terceira maior fabricante de smartphones do mundo, a chinesa Huawei, vai apresentar o P10. A tecnológica confirmou a apresentação do sucessor do P9 e vai continuar a aposta com a Leica para colocar um sensor duplo traseiro no dispositivo, uma das especificações mais interessantes do topo de gama do último ano. Mostrando uma nova tendência do mercado, as novidades da Huawei são as mais esperadas pelos leitores do Tek. Num inquérito realizado pelo Tek nas últimas semanas, 27% dos leitores responderam que é esta a marca que mais pode surpreender no MWC.

Em termos de especificações, o P10 deverá contar com um processador “da casa”, o Kirin 960, com velocidades de 2,3 GHz. O sistema operativo será o Android 7.0, com a skin da Huawei, e o ecrã terá 5,1 polegadas com uma resolução de 1920x1080. A memória RAM será, à partida, de 4GB, mas poderão existir variantes com 6GB, e o armazenamento interno será de 64GB, ainda que seja possível encontrar o P10 com 32GB e 128GB. A versão P10 Plus também deverá ser apresentada no evento na cidade espanhola.

Já sobre a sub-marca da Huawei, a Honor, é muito provável que seja apresentado o 8 Pro, que, ao que tudo indica, será o nome internacional para o V9, apresentado no dia 21 de fevereiro na China. O V9 conta com uma câmara de sensor duplo de 12MP e leitor de impressões digitais. O ecrã QHD tem 5,7 polegadas com uma resolução de 2560x1440. O processador é o Kirin 960 de oito núcleos, a bateria terá 4.000 mAh, a memória RAM é de 4GB ou 6GB, dependendo da versão, e o armazenamento interno tem 64GB ou 128GB.

Ainda é possível que a Huawei apresente a câmara de 360 graus. A empresa terá apresentado a câmara como assessório para um smartphone e mais detalhes deverão ser conhecidos no Mobile World Congress.

A aposta da Lenovo para o evento em Barcelona será um pouco diferente. Acredita-se que a empresa chinesa apresente um tablet Android e o novo Yoga 720 com Windows 10 que, na verdade, pouco se sabe. O que se sabe, no entanto, são dois novos smartphones Moto G.

Uma retalhista espanhola “descuidou-se” e revelou os dois equipamentos, o Moto G5 e Moto G5 Plus. O design mantém-se semelhante ao dispositivo lançado em 2016 e os dois smartphones contam com leitor de impressões digitais frontal.

O G5 vai integrar um ecrã 1080p com 5 polegadas, 2GB de RAM, 32GB de armazenamento interno, expansível através de um cartão microSD, processador Snapdragon 430 da Qualcom de 1,4 GHz, bateria removível com 2.800 mAh e câmara traseira de 13MP.

Já a versão Plus conta com um ecrã de 5,2 polegadas, 64GB de armazenamento interno, também expansível, processador Qualcomm Snapdragon 625 de 2GHz e bateria 3.000 mAh. De resto, as especificações são iguais do G5.

Entre as muitas novidades já antecipadas, a marca Nokia deverá apresentar um tablet de 18,4 polegadas e com 4GB de RAM, a BlackBerry deverá lançar o “Mercury”, sabendo que poderá não ser o único dispositivo da empresa canadiana, e a General Mobile vai apresentar o Android One GM6, um novo dispositivo do programa Android One.

Reforço da presença portuguesa

Depois de em 2016 o Mobile World Congress ter dez expositores registados por empresas portuguesas, este ano Portugal vai estar representado por mais de 15 empresas, embora a presença nacional possa ser superior. A Veniam, a IKI Mobile, a WeDo Technologies, a Aptoide, a Wit Software, a Celfocus, a TIMWe, a Deployeth, a Eat Tasy, a Heptasense, a Hi Jiffy, a HypeLabs, a Omniflow, a Papersoft, a Tecnology Solutions IT Inte, a Veedeeo e a YouShip são as empresas que vão marcar presença no certame espanhol.

O Mobile World Congress começa oficialmente a 27 de fevereiro e termina a 2 de março, mas as primeiras conferências começam no domingo, dia 26 de fevereiro. O Tek vai acompanhar o evento a partir de Barcelona e vai trazer-lhe todas as novidades mais relevantes e uma visão "por dentro" da maior exposição do sector na Europa.