São Tomé e Principe adapta OpenOffice

STP Office é o nome de uma versão costumizada do OpenOffice que o Governo de São Tomé quer utilizar na Administração Pública do país. A adaptação está a ser feita pela Caixa Mágica.

São Tomé e Principe adapta OpenOffice
A Caixa Mágica está a trabalhar com o Governo de São Tomé e Príncipe para adaptar o OpenOffice, numa versão que irá ser utilizada na Administração Pública daquele país.

O trabalho de adaptação para o STP Office está a ser feito em Portugal com a colaboração do instituto de tecnologias de São Tomé e Príncipe e o objectivo é evitar a resistência à mudança na implementação do OpenOffice nos vários serviços da Administração Pública local, como explicou hoje Paulo Trezentos durante a sua intervenção no Linux 2009, VII Encontro Nacional sobre Tecnologia Aberta, que hoje decorre em Lisboa.

A iniciativa é semelhante à que o Brasil já tinha tomado, adaptando o design e strings do OpenOffice.

O STP Office vai ser lançado já no dia 2 de Outubro em São Tomé e Príncipe e conta com o mais alto patrocínio do Governo do país.

Esta adaptação é um dos exemplos que Paulo Trezentos trouxe à conferência Linux 2008 sobre a adopção que o software open source está a ter a nível das empresas e entidades públicas, e que mostra a evolução do modelo que considera ser cada vez mais sustentável.

Votação TeK

A confirmação do primeiro acidente mortal envolvendo um Tesla Model S em piloto automático mudou a forma como encara os carros que se conduzem a eles próprios?

Mais informação

  • Não, o condutor não respeitou os avisos de segurança, logo o erro foi humano e não do sistema.

    33%

  • Não, mas não tenciono tirar os olhos da estrada quando entrar num carro autónomo.

    18%

  • Não, porque já não tinha intenção de entrar num carro autónomo.

    12%

  • Sim, provou-se que a tecnologia ainda não é segura e tem de ser mais testada antes de vir para a estrada.

    35%