Hackers conseguiram ter acesso a cadeias de produção de PCs na China e adicionar malware aos sistemas operativos que são pré-instalados nos computadores, avisou ontem a Microsoft. A empresa conduziu uma investigação no país, designada como Operation b70, na qual descobriu versões pirateadas dos seus sistemas operativos que já tinham malware integrado, entre os quais se contava o que dá acesso à botnet Nitol.


O problema foi exposto quando os investigadores da Microsoft compraram vários desktops e portáteis em diversas cidades chinesas. A descoberta coloca novas questões aos utilizadores que compram equipamentos nas lojas com sistemas operativos não legais, muitas vezes não se dando conta de que estão a ser enganados.


A Microsoft explica que o malware era utilizado para espiar as passwords e contas dos utilizadores mas também para lançar ataques de denial-of-service.



O mais perigoso malware encontrado era o Nitol, que já infetou milhões de computadores em todo o mundo, mas foram identificadas também ferramentas que permitiam ligar as câmaras de vídeo e os microfones dos computadores sem conhecimento do utilizador.

A Microsoft já conseguiu um mandato judicial para desligar esta rede.



Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico