Duas semanas depois de dar a conhecer ao mundo o novo Surface Pro, a Microsoft anunciou a chegada do novo híbrido a Portugal durante uma apresentação que teve lugar em Lisboa.

Com o lançamento agendado para o próximo dia 15 de junho, a tecnológica revelou que o equipamento vai estar disponível nas lojas com preços entre os 949 euros e os 2.549 euros.

À partida, o valor pode parecer um obstáculo ao sucesso destes novos produtos em território nacional, mas como André Cardoso revelou em conversa com o Tek, o país tem sido terreno fértil para o negócio da gama Surface. E a afirmação fica atestada nos números. Como nos revelou o diretor executivo do segmento de consumo da Microsoft Portugal, a marca já ultrapassou a fasquia das 100 mil unidades vendidas e detém, neste momento, cerca de 20% de quota no mercado português de computadores premium. As expectativas de venda para estas duas novidades são, por isso, "fortes".

"O nosso objectivo é continuar a alargar a nossa presença neste mercado [...] que tenta manter a tendência, ou marcar a tendência, para os outros aparelhos", afirmou André Cardoso. "Queremos continuar a ser uma espécie de estrela polar para os restantes devices".

A aposta, aqui expressa por um dos responsáveis da Microsoft, vai traduzir-se na chegada dos dois restantes membros da família Surface a Portugal. A notícia foi confirmada pelo diretor executivo que, no entanto, não pôde confirmar datas de lançamento para o Book e para o Studio.

Em comparação com os restantes mercados europeus, Portugal é "provavelmente o melhor país em termos de performance [comercial] do Surface. "A marca foi trabalhada e muito bem recebida pelos portugueses desde o início e o trabalho que fizemos com a educação, logo com o RT foi muito interessante, e isso também nos trouxe uma mais valia como marca".

tek andré cardoso
créditos: Copyright 2017. Todos os direitos reservados.

A par do Surface Pro, no entanto, chega também o Surface Laptop. O portátil foi apresentado no início do mês de maio e vai estar disponível a partir do próximo dia 15 de junho. A configuração base vai custar 1.169 euros, mas este valor ascende aos 2.549 se optar pela versão topo de gama.

O computador foi desenvolvido com grande foco no design e na portabilidade, mas a potência não foi descurada. Este modelo integra um ecrã touchscreen de 13,5 polegadas, com molduras muito reduzidas, armazenamento interno SSD de 128, 256 ou 512GB, uma RAM de 4, 8 ou 16GB e um processador Intel Core i5 Kaby Lake, com uma gráfica Intel HD 620, ou Intel Core i7, também ele Kaby Lake, com uma placa Intel Iris Plus Graphics 640.  A bateria tem capacidade para 14,5 horas de reprodução de vídeo por ciclo.

Em termos de conectividade pode contar com uma porta USB 3.0, uma entrada 3,5mm para auscultadores, uma Surface Connect e um Mini Display Port. Wi-Fi e Bluetooth 4.0 são suportados.

A câmara frontal tem suporte para Windows Hello e o sistema operativo de raíz é o recente Windows 10 S.

No design nota-se uma aposta clara no minimalismo. Se pegar neste portátil não vai encontrar um único parafuso ou uma única superfície que não tenha sido suavizada. O material utilizado no teclado, por exemplo, é Alcantara. Um tecido aveludado resistente à água e a altas temperaturas que a Fórmula 1 utiliza há vários anos em competição.

Mas apesar de poderoso e ultraportátil, o Surface Laptop é, em muito, semelhante ao novo Surface Pro. Questionado acerca da criação destes dois aparelhos no mesmo espaço de tempo, André Cardoso explica porque é que eles não se vão anular. "Há vários estudos de mercado que nos indicam que grande parte dos estudantes, e uma fatia significativa da população dos Estados Unidos e da Europa, ainda prefere portáteis. O Surface Pro criou este novo mercado dos 2-em-1, mas há muitos consumidores que ainda preferem laptops".