Mais um passo dado em direção à solidificação do sector dos carros de condução autónoma. O negócio entre a Uber e a Volvo ronda os 300 milhões de dólares e pode ser mais um motor para este mercado progredir.

A primeira etapa deste projeto consiste em integrar os sistemas de condução autónoma da Uber nos modelos XC90 da Volvo. Mas esta é uma “rua com dois sentidos”. Enquanto a Uber testa os seus sistemas nos carros da Volvo, esta última aproveita a expertise da parceria para desenvolver mais a fundo o seu programa de carros autónomos.

Apesar de os custos serem partilhados irmãmente, de acordo com a Reuters, nem a Uber nem a Volvo se coíbem de traçar parcerias com outras empresas no âmbito dos carros autónomos.

A cidade norte-americana de Pittsburgh será a primeira a ver os resultados materiais desta parceria. Segundo o The Verge, os carros da Volvo com o software da Uber chegam às ruas ainda este mês. Estes carros serão atribuídos aleatoriamente, ou seja, quando o utilizador requisita uma boleia à Uber não pode optar por um destes carros com sistemas informáticos de condução autónoma. Mas também não pode recusá-lo.

De acordo com o site, o acordo prevê o desenvolvimento de um carro totalmente autónomo até 2021, o que não é diferente daquilo que a Ford tenciona fazer.

Nestes carros – modificados com toda a parafernália de dispositivos e sensores que uma máquina deste género exige – os clientes são acompanhados por dois engenheiros da Uber: um no lugar do condutor e um no lado do pendura. Portanto, ao invés de o cliente ser transportado pelo “habitual” condutor da Uber, é levado à boleia por um par de engenheiros cuja função é monitorizar o desempenho do automóvel. Não será difícil de imaginar que a viagem possa tornar-se um pouco constrangedora e que o cliente possa sentir-se como um intruso. Para não dizer que, de cada vez que é necessário que o condutor assuma o controlo do veículo, soam alarmes de aviso, o que não deve ser muito reconfortante para quem vai no banco de trás.

Como o Tek já fez notar anteriormente, a Volvo tem andado bastante ativa na esfera dos carros autónomos. Até 2018, a fabricante sueca pretende ter cerca de uma centena de carros de condução autónoma a percorrerem as ruas de Londres. Esta iniciativa faz parte do seu programa de testes deste veículos, chamado "Drive Me". Muitas coisas devem ainda esperar-se da marca nesta área.