BESnet com área de compras online B2C

O serviço de Internet banking do Banco Espírito Santo, o BESnet, apresenta desde ontem uma área de compras online, uma plataforma de business-to-consumer desenvolvida em parceria com o pmelink.pt.

O BESnet, o serviço de banca online do Banco Espírito Santo, disponibiliza desde ontem aos seus utilizadores uma área de comércio electrónico B2C (business-to-consumer), desenvolvida em parceria com o centro de negócios pmelink.

Situada dentro da loja BESnet, esta nova área transaccional pretende tirar partido de um conjunto de parcerias estabelecidas com diversos fornecedores, permitindo o acesso 24 horas por dia, a produtos de marcas variadas a preços "fortemente competitivos", garantem os seus responsáveis.

Inicialmente, a área de compras online apresentará uma gama de 18 artigos, actualizada numa base mensal. A oferta cobre diversas categorias, com destaque para os computadores, PDAs, impressoras e câmaras digitais, das marcas HP, Compaq, Toshiba e Epson.

A partir de Novembro, a gama será alargada, nomeadamente com artigos de electrónica de consumo - televisões, DVDs, Hi-Fi, fotografia e vídeo - da marca Sony e computadores City Desk.

Segundo comunicado do BES, as entregas são efectuadas no prazo de um a dois dias úteis em qualquer ponto de Portugal Continental, enquanto os pagamentos podem ser efectuados com o MBnet ou com cartão de crédito.

Lançado em Juho de 1998, o BESnet conta actualmente com mais de meio milhão de clientes utilizadores dos seus serviços de Internet banking, dos quais cerca de 41 por cento são utilizadores frequentes, informa o BES.

Notícias Relacionadas:
2002-05-02 - BES, CGD e PT lançam site de negócios para PMEs
2000-12-18 - Mais de 112 mil já utilizam o serviço BESnet

Votação TeK

A confirmação do primeiro acidente mortal envolvendo um Tesla Model S em piloto automático mudou a forma como encara os carros que se conduzem a eles próprios?

Mais informação

  • Não, o condutor não respeitou os avisos de segurança, logo o erro foi humano e não do sistema.

    32%

  • Não, mas não tenciono tirar os olhos da estrada quando entrar num carro autónomo.

    18%

  • Não, porque já não tinha intenção de entrar num carro autónomo.

    13%

  • Sim, provou-se que a tecnologia ainda não é segura e tem de ser mais testada antes de vir para a estrada.

    35%