É sabido que o browser da Google tem consumos de energia ineficientes e a informação por si só não é notícia. No entanto, num vídeo de promoção ao Edge, a Microsoft decidiu sublinhar a alegada discrepância registada nesses valores entre o seu browser e os concorrentes. O Chrome apresentou a performance menos positiva.

A empresa colocou Opera, Firefox, Chrome e Edge em teste e utilizou quatro Surface Book para "rodar", individualmente, cada um dos browsers. Numa experiência que tem gerado bastante buzz na internet, os browsers foram utilizados para reproduzir um streaming de vídeo em HD e em fullscreen até o computador se desligar por falta de bateria.

No teste, o Edge destacou-se da concorrência. A bateria do portátil que utilizou o software da Microsoft para reproduzir o vídeo durou sete horas e 22 minutos. O Chrome foi o browser que mais rapidamente esgotou a bateria do seu portátil (4 horas e 20 minutos).

A Microsoft realizou ainda um teste onde automatizou os quatro programas para efetuar várias tarefas em sequência como abrir sites, separadores, reproduzir vídeos e navegar entre vários artigos. Os resultados mostram que, embora o Chrome deixe o último lugar, os dados recolhidos pela Microsoft não deixam de evidenciar uma diferença substancial para os resultados conseguidos por outros browsers.

Por fim, a tecnológica recorreu ainda à telemetria para comprovar a eficiência do Edge em ambientes reais e os resultados são bastante semelhantes aos obtidos em laboratório.

De acordo com a NetApplications, o Google Chrome é o browser mais utilizado pelos internautas, reunindo uma quota de mercado de 45,63%. O  Internet Explorer segue-se com 33,71% e o Microsoft Edge só aparece em quarto lugar, com 4,99%.