Samsung compra 3% da Sharp em dupla jogada estratégica

O momento financeiro mais atribulado da Sharp está a ser ultrapassado em várias fases de investimento que a empresa está a receber. Depois da Qualcomm, a Samsung decidiu investir perto de 85 milhões de euros na fabricante japonesa.

Samsung compra 3% da Sharp em dupla jogada estratégica
A Samsung investiu 10,4 mil milhões de yenes, cerca de 85 milhões de euros, na Sharp e garantiu a aquisição de 3,08% da empresa japonesa especialista na criação de componentes para ecrãs. Além de garantir um novo fornecedor para os dispositivos Galaxy, a Samsung ganha posição numa empresa que é fornecedora da Apple.

O acordo de transferência de quase 38 milhões de ações deve ficar definido e fechado até ao final deste mês.

"O propósito deste negócio é construir uma relação de confiança mútua para aumentar o valor corporativo da Sharp e da Samsung Electronics no negócio dos ecrãs de cristais líquidos, ao mesmo tempo que o capital da Sharp é reforçado", pode ler-se no comunicado sobre o acordo estabelecido.

Em 2012 já a Qualcomm tinha "socorrido" a Sharp com um investimento de 120 milhões de dólares e até ao final de março novas empresas podem investir. A Hon Hai, fabricante de Taiwan, pode comprar até 10% da Sharp numa injeção de capital que é apontada pela imprensa internacional como vital na estratégia financeira da empresa nipónica.

No caso da Samsung, a tecnológica sul-coreana pode ajudar assim a Sharp a libertar-se da dependência de alguns clientes como é o caso da Apple devido ao maior desafogo económico e parceiros para fornecimento que está a colecionar.

Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Votação TeK

A confirmação do primeiro acidente mortal envolvendo um Tesla Model S em piloto automático mudou a forma como encara os carros que se conduzem a eles próprios?

Mais informação

  • Não, o condutor não respeitou os avisos de segurança, logo o erro foi humano e não do sistema.

    33%

  • Não, mas não tenciono tirar os olhos da estrada quando entrar num carro autónomo.

    17%

  • Não, porque já não tinha intenção de entrar num carro autónomo.

    12%

  • Sim, provou-se que a tecnologia ainda não é segura e tem de ser mais testada antes de vir para a estrada.

    35%