Tecnológicas portuguesas mostram inovação em Israel

Um grupo de 11 empresas tecnológicas portuguesas está em Israel com o objetivo de mostrar o seu potencial no domínio da energia e da inovação no âmbito da visita do Secretário de Estado do Empreendedorismo, Competitividade e Inovação, Carlos Oliveira.

Tecnológicas portuguesas mostram inovação em Israel
Até ao próximo dia 1 de novembro uma missão composta por 11 empresas tecnológicas portuguesas estará em Israel com o objetivo de encontrar oportunidades de exportação nos sectores de energia e inovação.

Esta missão acompanha a visita oficial a Israel do Secretário de Estado do Empreendedorismo, Competitividade e Inovação, Carlos Oliveira, e é realizada no âmbito do projeto "Portugal: Innovating Energy Solutions", promovido pela Agência para a Energia (ADENE ) e pelo EnergyIN - Pólo de Competitividade e Tecnologia da Energia, contando ainda com a colaboração do AICEP.

As empresas portuguesas presentes - CEIIA, EDP Inovação, Enercoutim, Gatewit, Globaltronic, IKS, Inocrowd, Magnum Cap, Martifer Solar, PEA e TimWe - visitarão projetos e organizações ligadas à inovação em áreas como a energia das ondas, mobilidade elétrica e "tecnologia de ponta" - refere o comunicado do Ministério da Economia e Emprego - estando ainda previsto a realização de reuniões bilaterais com empresas e instituições israelitas.

O mesmo comunicado do Ministério da Economia destaca a importância desta visita para as empresas portuguesas que operam nas áreas da energia e da inovação, uma vez que são as próprias autoridades israelitas que estão a promover a colaboração de empresas locais com entidades estrangeiras, no sentido de potenciar a "transferência de informação nas áreas das tecnologias existentes, desenvolvimento de novas tecnologias e exploração de novos mercados".

Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Votação TeK

A confirmação do primeiro acidente mortal envolvendo um Tesla Model S em piloto automático mudou a forma como encara os carros que se conduzem a eles próprios?

Mais informação

  • Não, o condutor não respeitou os avisos de segurança, logo o erro foi humano e não do sistema.

    33%

  • Não, mas não tenciono tirar os olhos da estrada quando entrar num carro autónomo.

    18%

  • Não, porque já não tinha intenção de entrar num carro autónomo.

    13%

  • Sim, provou-se que a tecnologia ainda não é segura e tem de ser mais testada antes de vir para a estrada.

    34%