O número representa cerca de 8% da força de trabalho da organização que resulta da fusão das duas empresas, concretizada no verão passado após as várias aprovações regulatórias necessárias.


A informação da redução do número de efectivos é avançada pelo Diário Económico, que dá conta de negociações amigáveis com os funcionários em questão para a saída e atira um número.


A Zon Optimus não confirmou os números, mas admite que a integração criou a necessidade de avançar com um processo de "ajuste" no quadro de funcionários, embora sublinhando que em causa não está qualquer acção de despedimento colectivo.


A fusão da Zon e da Optimus foi proposta pelos accionistas de referência das duas empresas no final de 2012. Ao longo do ano passado foi apreciada pelos reguladores e acabou por receber a aprovação final do Autoridade da concorrência em agosto.


Desde então as empresas têm posto em marcha as medidas acordadas com a AdC para aprovar o negócio e trabalhado na integração de ofertas, já sob a liderança de uma equipa de gestão dirigida por Miguel Almeida.

Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico