“O ERP é o coração do corpo, mas os outros componentes mudaram”, referiu Steve Tzikakis, Presidente de EMEA South da SAP, numa analogia à forma como a empresa alemã conduz atualmente a sua estratégia.

“Um quarto do negócio da SAP neste momento é ERP. Tudo o resto é negócio que não fazíamos antes”, assegurou durante a sua intervenção no SAP Innovation Forum, que decorre esta quarta-feira, no Centro de Congressos do Estoril.

O responsável deixou uma mensagem de alerta sobre a velocidade da mudança vivida nos tempos atuais e sobre as tendências que transformam a forma como vivemos, trabalhamos e comunicamos.

Se por um lado temos um mundo mais inteligente, temos a cloud, a supercomputação e a hiperconectividade, por outro lado há novas capacidades de negócio antes inexistentes, que melhoram processos e vendas, como o real time, a possibilidade de personalizar experiências, as capacidades preditivas ou a otimização das cadeias de valor.

Centrada em ajudar no processo de negócio, a SAP tem vindo a investir na disponibilização de novas soluções. O machine learning e a inteligência artificial estão entre as apostas mais recentes, como apontou momentos depois, no mesmo palco, o vice-presidente de Innovation  Carlos Diaz .

O responsável mencionou como exemplo o Co Pilot, um assistente virtual, que compreende conversas e o que lê - seja num chat ou num email - e que é capaz de “tomar decisões”, como criar ordens de encomenda ou gerar emails automáticos de ausência se o seu utilizador o “informar” que vai tirar uns dias de folga.

Entre as várias capacidades desta ferramenta de IA, que deverá ser apresentada oficialmente muito em breve, está também a possibilidade de interpretar perguntas, comentários ou queixas, na área da assistência ao cliente, classificando esses conteúdos e sugerindo a melhor resposta em cada caso, mostrou Carlos Diaz.

Plataforma HANA a gerar negócio em Portugal

A SAP tem atualmente mais de 350 mil clientes em todo o mundo, 80% PMEs, valor que a distancia da imagem inicial de fornecedora de soluções para grandes empresas.

Independentemente da dimensão das organizações que serve, a importância do negócio não diminuiu: os clientes SAP representam 98% das 100 marcas mais valiosas e 87% das empresas da Forbes Global 2000. Além disso, 76% das receitas em transações mundiais passam por um sistema SAP.

A multinacional reclama ainda para si a maior base de utilizadores cloud: 130 milhões e destaca o investimento todos os anos feito em inovação, que em 2016 ficou acima dos 3.000 milhões de euros.

Estes foram valores trazidos ao palco do SAP Innovation Forum por Luís Urmal Carrasqueira, “resultados que falam por si”, sublinhou o sales director da SAP Portugal.

O responsável destacou que a SAP tem uma visão clara “de como ajudar as empresas na transformação digital” e isso percebe-se, por exemplo, pelo crescimento da base de clientes HANA em todo o mundo, nomeadamente em Portugal.

À margem do evento, Luís Urmal Carrasqueira referiu ao Tek que a SAP tem em Portugal mais de 140 clientes HANA e S/4 HANA, de vários tipos.  “Clientes que estão a migrar da plataforma de ERP da SAP, clientes que estão a fazer a migração para HANA para S/4 HANA e novos clientes que, de raiz, reconheceram na S/4 Hana uma plataforma de futuro para gerirem as suas operações”.

O número avançado mostra uma evolução de mais de 50% face aos números registados no final de 2016, quando a plataforma somava 85 clientes em Portugal.