SAPO Tek

Publicado por Casa dos Bits 21 Set 2012 às 09:51

Texto maior Texto mais pequeno Mail Imprimir

CE pode voltar a investigar Microsoft por infrações à concorrência

As alegadas limitações impostas pela Microsoft a quem utilizar o novo Windows RT, no que se refere ao browser, podem valer à empresa uma nova investigação europeia. As anteriores culminaram em multas de quase 1,7 mil milhões de dólares.

A Microsoft pode voltar a ser investigada pela Comissão Europeia por novas suspeitas de violação da legislação europeia da concorrência, avança a Bloomberg. Em causa está a suspeita de que o novo Windows RT, que será lançado este mês e que vai equipar tablets e equipamentos baseados em processadores ARM, não permitirá a seleção de outros browsers que não o Internet Explorer.

A acusação já tinha sido feita pela Mozilla, que em maio publicou um post no seu blog denunciando a situação e criticando aquilo que considerava ser um retrocesso aos tempos em que a empresa integrava o seu browser com o sistema operativo, otimizando o funcionamento conjunto e limitando alternativas.

A participar numa conferência sobre políticas anti-trust Joaquin Almunia, comissário europeu da concorrência, foi questionado pela Bloomberg sobre o assunto e admitiu que o tema pode dar origem a uma nova investigação. Para já a Comissão Europeia vai averiguar a situação. "Temos de olhar para isso", disse o responsável.

Contactado pela agência, um porta-voz da Microsoft diz-se "seguro de que as atualizações à família de produtos Windows - Windows 8, Windows RT and Windows Phone - irão oferecer aos consumidores opções adicionais de escolha num mercado que é muito competitivo". A mesma fonte acrescentou que a Microsoft tem vindo a trabalhar com a Comissão Europeia para responder a quaisquer questões que possam surgir.

Recorde-se que a Microsoft foi já alvo de multas europeias de 1,68 mil milhões de dólares. A abordagem da fabricante no mercado dos browsers foi uma das questões censuradas pelas autoridades europeias da concorrência e que vale à empresa um compromisso assumido até 2016.

Além das sanções pecuniárias, a Microsoft ficou obrigada a dar a escolher aos utilizadores do Windows várias alternativas, na primeira vez que estes usam o browser, para além de ter de garantir o correto funcionamento destas alternativas com o seu software.

Durante o período em que era suposto, a medida não foi totalmente cumprida. Uma avaliação posterior veio a revelar que pelo menos 28 milhões de PCs não mostraram o ecrã de seleção do browser como era suposto. A empresa garantiu que a falha foi técnica e para se redimir aceitou estender até 2016 o compromisso assumido com a CE.

Segundo a Bloomberg, este acordo não deverá no entanto valer para a nova versão do Windows. A confirmar-se, a opção da Microsoft pela limitação da escolha dos utilizadores ao seu browser, a questão será analisada num novo processo.

Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Cristina A. Ferreira


Vídeos

Votações

Todos os dias são lançadas milhares de aplicações novas para dispositivos móveis. Quantas apps já instalou no smartphone ou tablet?

VotarVer Resultados

Glossário

JavascriptVer

Soft. Linguagem de programação integrada nas páginas da web. É similar à linguagem Java mas, ao contrário desta, que se carrega separadamente da página web e cuja área de influência está res ...

Glossário

Tags

4561 resultados
1651 resultados
1431 resultados
1135 resultados
1132 resultados