Governo aprova corte de comunicações a quem não paga faturas

Exceder em 10 dias o prazo limite para o pagamento de uma fatura de telefone, telemóvel ou Internet vai dar direito a ficar sem serviço durante 30 dias, define uma medida hoje aprovada pelo Governo.

Governo aprova corte de comunicações a quem não paga faturas
O Conselho de Ministros aprovou hoje uma proposta de lei que define o corte automático de serviços de comunicações eletrónicas a quem não pagar as faturas relativas aos serviços prestados pelos operadores.

A medida prevê que, ultrapassados 10 dias após a data limite para pagamento da fatura, o serviço seja cortado por um período de 30 dias, prazos detalhados no comunicado do Conselho de Ministros. Durante este período, se o cliente pagar a dívida ou negociar com o operador um plano de pagamento o serviço deve ser reposto imediatamente.

Caso o período de 30 dias termine sem que o pagamento em dívida seja realizado o contrato é automaticamente resolvido e não poderá ser reposto.

A medida resulta de uma alteração à Lei dos Serviços Públicos Essenciais, da Lei de Defesa do Consumidor e da Lei das Comunicações Eletrónicas, que também prevê outras alterações ao nível dos contratos de crédito.

Segundo justifica a nota do conselho de ministros, a alteração legislativa tem como objetivo "melhorar o funcionamento do sistema judicial, reduzindo a sua lentidão através da eliminação de pendências".

A mesma nota explica que a medida tem ainda como objetivo dar um contributo para conter o endividamento das famílias.

Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Cristina A. Ferreira

Votação TeK

A confirmação do primeiro acidente mortal envolvendo um Tesla Model S em piloto automático mudou a forma como encara os carros que se conduzem a eles próprios?

Mais informação

  • Não, o condutor não respeitou os avisos de segurança, logo o erro foi humano e não do sistema.

    33%

  • Não, mas não tenciono tirar os olhos da estrada quando entrar num carro autónomo.

    18%

  • Não, porque já não tinha intenção de entrar num carro autónomo.

    12%

  • Sim, provou-se que a tecnologia ainda não é segura e tem de ser mais testada antes de vir para a estrada.

    35%