Telemóvel Google chega às lojas em 2010

Em parceria com a HTC, a Google prepara-se para lançar o seu próprio telemóvel em 2010, suportado no sistema operativo Android. Os colaboradores da empresa já o estão a testar.

Telemóvel Google chega às lojas em 2010
O telemóvel da Google vai chamar-se Nexus One e, sem surpresa, usa o sistema operativo Android, suportado pela gigante da Web. O terminal foi desenvolvido com a HTC e deverá chegar às lojas no início do próximo ano, avança o The Wall Street Journal.

Num post colocado no blog da Google, Mario Queiroz, vice-presidente da empresa para gestão de produto, de origem brasileira, adianta que foi criado um laboratório móvel, combinando hardware inovador de um parceiro com software que corre sobre o sistema aberto Android.

Os colaboradores da Google a nível mundial já estarão a testar o novo equipamento e algumas fotografias foram já publicadas no Twitter e no blog Engadget.

Google Phone



Google Phone

Pelas fotografias o modelo é muito semelhante ao HTC Touch 2, de que o TeK já falou várias vezes, mas que tem sido apresentado como uma das apostas da marca para o Windows Phone. De qualquer forma a HTC é uma das fabricantes mais empenhadas no lançamento de modelos com Android e alguns terminais apresentam muitas semelhanças no design.

Segundo indicações de várias fontes o novo terminal que está a ser testado inclui o update para a versão 2.1 do Android, mas com um interface adaptado pela Google.

O modelo de comercialização não está confirmado, mas os vários meios garantem que não passará pela associação nem vinculação a nenhuma operadora, ao contrário do iPhone da Apple que passou por acordos exclusivos. O Nexus One será vendido através da Internet e poderá oferecer conteúdos suportados em publicidade personalizada.

Votação TeK

A confirmação do primeiro acidente mortal envolvendo um Tesla Model S em piloto automático mudou a forma como encara os carros que se conduzem a eles próprios?

Mais informação

  • Não, o condutor não respeitou os avisos de segurança, logo o erro foi humano e não do sistema.

    32%

  • Não, mas não tenciono tirar os olhos da estrada quando entrar num carro autónomo.

    18%

  • Não, porque já não tinha intenção de entrar num carro autónomo.

    13%

  • Sim, provou-se que a tecnologia ainda não é segura e tem de ser mais testada antes de vir para a estrada.

    35%