O número de contas móveis realmente usadas no último trimestre do ano passado diminuiu, uma tendência que se registou pela primeira vez desde que estes dados são recolhidos, como explica a Anacom numa nota de imprensa hoje divulgada.


No final do ano existiam no país 16,8 milhões de contas móveis ativas (estações móveis ativas, na designação do regulador), mais 1% que nos três meses anteriores. Destas, 13,4 milhões foram efetivamente usadas entre novembro e dezembro, valor que traduz uma queda de 0,5%.


O número desce mais um pouco excluindo as placas ou modems utilizados apenas para acesso à Internet móvel, reduzindo para 12,3 milhões o número de contas móveis usadas para dar suporte a telemóveis, o que ainda assim garante uma taxa de penetração móvel acima dos 100%.


Os dados hoje disponibilizados pela Anacom também permitem concluir que no final do ano usavam serviços de 3ª geração mais de 4 milhões de utilizadores, o que representa um crescimento destes serviços - videochamada, Internet no telemóvel, televisão, entre outros - na ordem dos 4,4%.


Também se apurou que no tráfego de banda larga 27,3% foi registado por modems ou placas de acesso à Internet via rede móvel, valor que representa uma diminuição de 11,3% face ao período homólogo.


Entre novembro e dezembro de 2011 foram realizadas na rede móvel 2,2 mil milhões de chamadas, menos 2% que no trimestre anterior, para um total de 5,4 mil milhões de minutos de conversação. Foram enviadas 7,1 mil milhões de mensagens, 5,7% mais que nos três meses anteriores.




Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico



Cristina A. Ferreira