Opinião: Tendências em Social Media para 2017

Quais serão as principais tendências em socia media no próximo ano? Um eBook do ISEG sumariza os principais pontos e Helena Gonçalves explica o essencial neste artigo de opinião.

tek helena gonçalves

Por Helena Gonçalves (*)

As tendências em social media, identificadas por cada um dos autores do eBOOK Social Media Trends do ISEG, foram agrupadas por áreas que espelham a própria estrutura do curso de Social Media Management que tem início em janeiro de 2017.

No total foram identificadas 18 tendências, das quais apresento de forma resumida as seis principais:

 

Aumento do Social Selling

Um estudo da eMarketer sobre o que mais partilham os utilizadores nas redes sociais revela que cerca de 25% partilha recomendações de coisas que gosta, ou seja, o poder de recomendação dos utilizadores nas redes sociais é cada vez mais cobiçado pelas marcas. A conversão destas recomendações em vendas, potenciados por plataformas como o Marketplace recentemente lançado pelo Facebook, é um dos desafios a que vamos assistir em 2017.  

 

Criação do Social ID

A informação do consumidor, recolhida nas várias redes sociais, é agrupada e resulta na criação de um Social ID comum, permitindo ligar as várias interações do consumidor e mapear um perfil demográfico e psicográfico da pessoa. Estes dados ao serem cruzados com programas de lealdade e informação de vendas, possibilitam a personalização do contacto e a adaptação da oferta no ponto de venda, seja online ou offline, maximizando os resultados por contacto.

 

Relações Públicas mais data-driven

Vai passar a existir uma aproximação cada vez maior entre PR e o SEO. Vão tornar-se como que os melhores amigos. Portanto, é vital que as equipas de relações públicas e SEO compreendam os objetivos de cada uma e possam colaborar para que o conteúdo vindo da empresa tenha qualidade e possa ser otimizado para pesquisa.

 

Estratégia de distribuição de conteúdos

Uma boa história aumentará a probabilidade de sucesso, mas não garante a posição da superfície. A estratégia de conteúdo precisa, cada vez mais, de uma boa estratégia de distribuição.  Não adianta o foco no conteúdo se não se estiver atento à multiplicidade de canais, formatos e ferramentas que nos dão orientações para colocar o conteúdo no lugar e hora certa.

 

Plataformas de Messaging e Advertising

As plataformas de messaging irão oferecer opções para as marcas pelo que se assistirá à transferência de investimento em media para as redes sociais, como resposta ao ad blocking. O Facebook, o Twitter e o Instagram permitem que os utilizadores possam ocultar anúncios ou ver menos anúncios semelhantes aos que não consideram relevantes, ou seja permite que o consumidor personalize o seu feed de notícias de acordo com os seus interesses e necessidades.

 

Business Inteligence e o uso de algoritmos

A escolha algorítmica de quais os conteúdos a apresentar lança desafios impossíveis de ignorar e a única forma de os enfrentar é com o recurso a dados de analytics. Os gestores, estrategas e produtores de conteúdos terão de se unir a especialistas de analytics para perceber o que funciona e o que não funciona, numa base contínua, melhorando de forma circular o seu processo de comunicação digital em redes sociais.

 

(*) coordenadora científica do curso Social Media Management e uma das responsáveis pelo eBook Social Media Trends 2017 

Nokia 3310

O Nokia 3310 recupera a nostalgia de uma das primeiras gerações de telemóveis. Está disposto/a a comprar um?

Mais informação

  • Sim e vou abandonar o meu smartphone

    19%

  • Sim, mas só para jogar Snake

    10%

  • Vou oferecer a alguém

    10%

  • Não, é só um "dumbphone"

    59%