Primeiro foi um rumor pouco provável de se concretizar, mas a Nokia surpreendeu tudo e todos quando, na última edição do Mobile World Congress, revelou mesmo uma versão modernizada do saudoso 3310.

O equipamento deverá chegar a Portugal no próximo mês de maio e com base na aparente expectativa gerada em torno deste lançamento, o Tek questionou os seus leitores se "estariam dispostos a comprar um". As respostas, no entanto, contrariam o interesse criado em torno da sua apresentação.

De acordo com os valores apurados no inquérito, 59,61% dos inquiridos responderam que não tinha qualquer interesse em comprar um Nokia 3310, mostrando que a ligação emocional à marca e ao próprio aparelho, como sublinhou Luís Peixe, responsável pela HMD Global em entrevista ao Tek, poderá não se traduzir em vendas.

Das respostas que indicaram algum interesse na aquisição do telefone, apenas 19,67% revelaram não só estar dispostos a investir neste equipamento, como também a "abandonar o seu smartphone" por ele.

Cerca de um décimo dos leitores assumiram uma certa saudade pelo popular Snake, um dos jogos que ajudou a criar a fama do 3310. Das respostas dadas, 10,52% disseram estar dispostos a comprar uma unidade, mas "só para jogar" este jogo.

A resposta menos dada foi "vou oferecer a alguém" e contou com 10,2% dos votos.

Aquando da apresentação deste telefone, a Nokia "vendeu-o" como um equipamento complementar ao smartphone que os utilizadores carregam diariamente. A ideia da empresa com o desenvolvimento desta versão, disse a mesma no MWC,  foi também dar aos consumidores uma opção mais barata e menos sofrível de perder ou estragar em ambientes em que é mais propício de acontecer.

O Nokia 3310 vai estar à venda no mercado português ainda no segundo trimestre deste ano e os preços serão próximos do que foi comunicado a nível global: 49 euros. Com os ajustes ao mercado português, no entanto, os preços serão um pouco mais elevados.