A Atos anunciou o lançamento de uma nova versão daquele que diz ser o telemóvel mais seguro do mundo. Chama-se Hoox, já é utilizado por entidades internacionais do setor da defesa em todo o mundo, mas vai agora chegar ao universo empresarial com novas funcionalidades.

A empresa garante que esta é até a primeira solução a "oferecer comunicações seguras através de toda a cadeia de comunicação, incluindo telefones inteligentes, aplicações e infraestrutura". E as ferramentas que asseguram a concretização desta premissa são várias. Segundo escreve a Atos em comunicado, a integração de várias aplicações nativas garante a construção de um ecossistema fechado e, por isso, mais seguro. Desta forma, a empresa consegue fazer com que o utilizador opere com o seu smartphone através de um programa inteiramente desenhado e sustentado por si, reduzindo o risco de exposição a ameaças. Nesta versão, as apps instaladas incluem soluções de produtividade colaborativa que permitem, por exemplo, as videochamadas de grupo e as mensagens instantâneas.

A infraestrutura de comunicação do smartphone integra ainda uma app store privada e específica para cada empresa ou organização. O espaço permite às entidades partilharem aplicações específicas de negócio bem como soluções mais convencionais. Todas elas são previamente controladas e testadas pela Atos de forma a garantir a sua segurança.

Estes equipamentos são baseados no sistema operativo Android e asseguram ainda a encriptação de todas as comunicações estabelecidas, sejam elas chamadas, mensagens, ou internet.

A gama de smartphones Hoox divide-se, neste momento, em dois equipamentos: o Hoox k3 e o Hoox k30.

O primeiro é um telefone com especificações mais modestas. Tem 5 polegadas de ecrã, Android 4.4 e 16GB de armazenamento. A câmara frontal chega aos 2MP e a traseira aos 5MP. O modelo k30 tem um ecrã de 5,7 polegadas e um sistema operativo Android 6.0. O armazenamento interno chega aos 32GB e as câmaras, frontal e traseira, são de 5MP e 12,3MP respetivamente. Nesta versão há ainda um sensor de impressões digitais.

O smartphone não deverá apelar a um consumidor individual, uma vez que, tal como sublinha a Atos, esta é uma solução empresarial. O foco está na segurança e no suporte dado aos clientes.