A Huawei investiu fortemente na presença da marca no Mobile World Conference e é impossível chegar a Barcelona sem tropeçar nos logos que estão espalhados por todo o aeroporto, nos principais locais da cidade e na frota de carros que mais uma vez percorre as principais ruas, oferecendo Wi-Fi móvel.


A apresentação à imprensa, que “abre as hostilidades” mesmo antes da feira começar, e antecipando-se aos principais concorrentes, mostrou a nova assinatura da marca, sonhos inspiram a criatividade, mas também três wearables, que Richard Yu, CEO da área de mobile, garante serem uma aposta relevante para a empresa. O Watch foi a estrela de cartaz.



No ano passado a Huawei mostrou a TalkBand 1 mas agora tem uma nova versão, a TalkBand B2. A nova geração da pulseira inteligente que o Tek testou tem um design muito próximo da versão anterior, mas com características mais premium, com o encaixe de metal em vez de plástico. Mais fina e com pulseira de couro, fica mais fácil “encaixar” em qualquer pulso.


A TalkBand integra 6 sensores de movimento e giroscópio que torna mais fiável a medida do movimento. E um algoritmo que identifica o que está a fazer e não confunde lavar os dentes com o andar. Entre as funções estão ainda um localizador do telefone.


Os preços variam entre os 169 e os 199 euros, consoante se escolha a versão base ou metal+couro, e estará disponível no final de abril no primeiro grupo de países.


Para acompanhar a tendência a Huawei lançou também uns auscultadores, a TalkBand N1 com tecnologia de som APTX e 4 GB de memória integrada para guardar músicas, garantindo uma duração de bateria de 7 horas. Ao mesmo tempo o N1 grava os passos e as calorias queimadas, dando uma indicação de voz através de uma app instalada nos auscultadores. E ao mesmo tempo são uma peça de design que se transforma em colar.


O preço é de 119 euros e chega às lojas da primeira vaga de países no final de maio.

Para o fim a Huawei deixou o melhor: um smartwatch que recebeu o nome de Huawei Watch. Este já tinha sido alvo de muitos rumores que se concretizaram na maioria, com um design muito semelhante a um relógio tradicional, mas com sentido de estilo.

Com desenho redondo, há vários interfaces por onde escolher, ajustando-se também ao pulso feminino. As opções de material e design, entre couro e metal, foram também contemplados.


A marca quer afastar-se do smartwatch/gadget sem perder funcionalidades. Os elementos tradicionais e a colocação de botões no mesmo local, com o uso do sapphire crystal no ecrã com a melhor resolução no relógio Android, fazem com que se pareça mais com um “relógio real”.


Pode atender chamadas, ver notificações de email, calendário e Facebook. Mas também está ligado ao Google now, fazendo perguntas ao relógio. Mas a má notícia é que o Watch só estará à venda em meados do ano, e o preço não foi ainda revelado.

Veja aqui outras novidades que foram apresentadas no MWC15.



Escrito ao abrigo do novo Acordo
Ortográfico