A Comissão Nacional de Eleições (CNE) está atenta à propaganda nas redes sociais que viole a Lei Eleitoral. Em análise estão várias queixs contra partidos e o Facebook e as coimas podem chegar a 75 mil euros.

A notícia é hoje avançada pelo Jornal de Notícias que diz que a CNE começou por receber uma primeira queixa, a titulo individual, há 3 semanas. A queixa visava as próximas eleições autárquicas de 1 de outubro, mas na semana passada chegaram mais queixas, todas apresentadas por partidos políticos, diz a mesma fonte.

Recorde-se que a Lei Eleitoral não impede a difusão de conteúdos em páginas do Facebook, mas limita a propaganda eleitoral através de meios de publicidade comercial, o que bloqueia a utilização da publicidade na rede social, uma ferramenta que permite chegar a muitos utilizadores e que pode começar com investimentos de apenas cinco euros.

Comissão Nacional de Eleições impõe limites ao uso do Facebook
Comissão Nacional de Eleições impõe limites ao uso do Facebook
Ver artigo

Já nas eleições autárquicas de 2013 a CNE esteve atenta à utilização do Facebook e tomou várias medidas, como explicaram na altura ao Tek os responsáveis.

Nesse ano foram analisadas várias queixas e a CNE chegou a avançar com uma multa ao Facebook.

Segundo os dados a que o Jornal de Notícias terá tido acesso,  nas últimas autárquicas, foram instauradas contraordenações a forças políticas de cinco localidades e ao Facebook.

Quatro dos casos relatados foram reportados por cidadãos que apontaram as situações de propaganda nas Avenidas Novas (Lisboa), no Funchal, Vieira do Minho e em Porto Moniz. Só num caso - em Odivelas - a situação foi denunciada por um partido, o PS, que se queixou contra a coligação do CDS, MPT e PPM.

Para já, todos os processos que foram movidos em 2013 estão em curso e não há ainda decisão final. O jornal indica que "todos os processos da CNE contra a empresa [Facebook] e os donos dos perfis 'encontram-se pendentes'- ou em 'fase de elaboração do relatório de instrução'" ou com projeto de decisão. O jornal adianta ainda que desde 2013 em todas as eleições se registaram "casos com processos próprios".

A Lei Eleitoral tem regras definidas para a utilização de meios comerciais nas campanhas e as multas podem variar entre os 15 mil e os 75 mil euros, mas em alguns casos as multas podem também ser dirigidas aos utilizadores e não apenas aos partidos e candidatos.

A divulgação das campanhas em redes sociais e em plataformas móveis tem sido largamente utilizada em várias partes do mundo, algumas com sucesso reconhecido, como aconteceu com o uso do Twitter nos Estados Unidos.