E o que é que a concorrência não tem? Não tem concertos, não tem produções independentes como covers e não tem remisturas de músicas. É por este caminho que a Google espera conseguir entrar em força no segmento da música digital através do serviço YouTube Music Key.


Pelas informações reveladas pelo Android Police, o serviço vai permitir aceder a 20 milhões de músicas, ouvi-las em segundo plano e até enquanto offline, mas apenas mediante o pagamento de uma subscrição de 9,99 dólares, cerca de 7,50 euros.


O YouTube Music Key também vai alegadamente disponibilizar concertos de artistas aos quais os utilizadores vão poder aceder. A “machadada” final para a concorrência pode estar numa estratégia agressiva: pelos mesmos 9,99 dólares os utilizadores vão ainda ter direito a todo o catálogo de música do Google Play Music All Access, que supostamente vai chamar-se Google Play Music Key.




Quer isto dizer que com apenas uma subscrição os utilizadores vão ter direito a dois serviços distintos – o que acaba por se tornar vantajoso relativamente a outros serviços de música por streaming.


Ainda que os utilizadores não usem as duas plataformas de forma regular, a Google espera que a “gula” da possibilidade de ter vários conteúdos pelo mesmo preço ajude a atrair utilizadores para a plataforma que já está disponível há vários meses, incluindo em Portugal.


Ainda não é certo quando é que o novo serviço vai ser lançado e em que mercados, isto porque a Google ainda estará a tratar de acordos de licenciamento com várias editoras, uma tarefa que nunca é simples mesmo para as grandes tecnológicas.

Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico