Ao Centro Nacional de Cibersegurança (CNCS) chegaram hoje relatórios de incidentes no sector privado mas Pedro Veiga, coordenador do CNCS, diz que não houve nenhum report de uma entidade pública relacionado com os ataques que foram identificados. Questionado pelo Tek o responsável pelo centro que tem como missão a coordenação operacional e é autoridade nacional especialista em matéria de cibersegurança, admite que a tolerância de ponto que está hoje em vigor por causa da celebração dos 100 anos das aparições de Fátima, e da visita do Papa, pode ser uma das razões.

Mas esta aparente “invulnerabilidade” pode ser apenas uma questão de tempo. Na segunda feira, quando a maioria dos funcionários públicos voltarem ao seu posto de trabalho, pode haver uma nova vaga de casos de ransomware.
Pedro Veiga garantiu ao Tek que o CNCS já está em contacto com os organismos públicos para transmitir as recomendações mais relevantes, até porque há organismos e serviços que não param com a tolerância de ponto e serviços que se mantêm ativos.

Ataque informático global com ransomware está a afetar várias empresas portuguesas
Ataque informático global com ransomware está a afetar várias empresas portuguesas
Ver artigo

A operacionalização é feita através do CSIRT, mas infelizmente nem todos os organismos têm ainda protocolos de colaboração e por vezes faltam questões puramente operacionais, como o contacto direto das pessoas certas para resolver os problemas.

“Já divulgámos, logo a partir das 15 horas, toda a informação que fomos obtendo junto dos organismos com quem temos protocolos”, afirma Pedro Veiga, explicando porém que infelizmente “não chegamos ainda a todos os organismos.

De fora ficam ainda os organismos da Administração Local, que não estão abrangidos pela competência do CNCS, apesar de haver já um protocolo prestes a ser assinado com a Câmara Municipal de Lisboa e Pedro Veiga acreditar ser importante alargar este tipo de colaboração para que mais entidades se juntem ao centro que está em coordenação permanente com as autoridades nacionais e internacionais.

O Tek está a acompanhar atentamente este ataque que hoje afetou várias empresas e já publicou uma série de artigos sobre o tema, que pode ler nos links que partilhamos abaixo.

Ataque informático global: ransomware da família "Wanna" é a "arma" que está causar os estragos

Ataque informático que está a afetar empresas portuguesas pode ter tido origem no Brasil

Ataque informático global com ransomware está a afetar várias empresas portuguesas