A pergunta tem sido repetida até à exaustão a propósito do novo smartphone da LG, mesmo pelos comentadores do TeK. Afinal para que serve o 3D num smartphone?

Num mercado onde a profusão de lançamentos faz com que seja muito difícil diferenciar os produtos e onde mais ecrã, mais processador e mais câmara fotográfica já deixaram de garantir mais vendas, a marca coreana decidiu assumir a diferença com a integração das imagens a 3 dimensões, uma tecnologia que já explora – com sucesso e qualidade – nos televisores.

Depois de termos experimentado o LG Maximo em vários cenários de “demo”, nos últimos dois dias tivemos o smartphone por nossa conta, para explorar todo o potencial, embora com os limites que o tempo, falta de acessórios e de outras tarefas para realizar impõem...

Como já tínhamos escrito, a LG tem expectativas elevadas para este telemóvel, que já está à venda na rede de lojas da Vodafone, mas que chegará em breve a todos os operadores portugueses. O smartphone está também à venda nas lojas, livre de operador, mas não são conhecidos os primeiros números de vendas.

No novo LG Maximo é claramente o 3D que marca pontos face a todos os outros smartphones que podem ser encontrados nas lojas. O ecrã WVGA de 4,3 polegadas HD ganha nova vida com as imagens tridimensionais que podem ser encontradas numa área de agregação especialmente criada pela LG, com a acesso ao YouTube 3D, três jogos da Gameloft pré-instalados e mais 14 prontos a serem descarregados (e pagos) na loja online.

[caption]maximo 3d[/caption]

A primeira comparação a fazer é, naturalmente, com a consola Nintendo 3DS, que tem semelhanças na possibilidade de exibir imagens sem recurso a óculos ativos ou passivos, permitindo jogar e captar imagens. E aqui o LG Maximo sai vencedor, ajudado pelo ecrã maior e melhor e a adição de todas as funcionalidades nativas de um smartphone.

Face a outros telemóveis à venda a comparação terá de se fazer com o 3D sempre como um sinal distintivo. De resto as características apresentadas colocam o Maximo 3D no topo superior da hierarquia de smartphones, com um dos melhores e maiores ecrãs, o processador mais avançado, câmara fotográfica de 5 MP com capacidade 3D, ligação HDMI e DLNA e suporte HSDPA para 14,4 mbps. O sistema operativo Android 2.2 não é ainda o mais avançado da Google, mas a LG garante para breve a atualização para o 2.3 (Gingerbread)

Tudo em 3D

O agregador de conteúdos e funcionalidades 3D é o primeiro destino da curiosidade de todos os que pegam no telefone, esquecendo as tradicionais experiências de acesso à Internet e até às outras aplicações do Android Market.

Os jogos, o acesso ao YouTube 3D, a Galeria 3D, Câmara e até um Guia de utilização estão agregados de forma simples para quem quer explorar esta área.

Os 3 jogos pré-instalados já trazem emoção para quem gosta de Golf, corridas de automóveis e aventuras. E com o 3D é fácil que qualquer experiência se transforme numa corrida alucinante, mesmo para quem não gosta de jogos de condução. Veja o vídeo abaixo feito com uma demo para não “estragar” a pintura do carro.

O LG Maximo 3D não tem um botão para ajustar a imagem 3D, uma opção que a Nintendo 3DS incluiu, mas é possível fazê-lo por software para os utilizadores que não se sentirem confortáveis com a utilização.

Até porque, passado o primeiro momento de “deslumbramento” com as imagens tridimensionais, há algum desconforto associado à visualização, e por isso a LG também faz muitas recomendações sobre a melhor forma de ver as imagens, a distância em relação ao ecrã e a idade recomendável (não inferior a 5 anos).

E se quer mostrar o novo jogo de Golf em pleno campo o melhor é esquecer… É necessário um ambiente de luminosidade menos intensa do que o ar livre para tirar partido desta funcionalidade.

Mas o 3D não se limita aos jogos, mesmo que esta seja a principal atração. A produção de conteúdos próprios, em 3D, é outra das descobertas proporcionadas pelo smartphone. Fotografias e vídeos ganham novos atrativos, mesmo que os resultados não sejam tão bem sucedidos como gostaríamos. É preciso ganhar treino para fazer boas fotografias em 3D, e algumas das dicas partilhadas recentemente por fotógrafos numa exposição organizada pela Nintendo com a consola 3DS podem ajudar…

A LG não se esqueceu também que quando se criam fotos e vídeos em 3D há outros ecrãs que queremos usar para mostrar a “obra” feita. Ao contrário da Nintendo, que ainda não consegue exportar as imagens da câmara da consola 3DS, a LG consegue fazer ligação com televisores e outros dispositivos com suporte 3D, como monitores e computadores portáteis, através das ligações HDMI e do suporte DLNA.

Esta foi uma das partes que não estamos pela falta de “acessórios” adequados, embora nas demos da marca pareça tudo muito fácil.

A marca refere ainda que será possível fazer a conversão de conteúdos 2D para 3D, mas o software só estará disponível pra download a partir do terceiro trimestre, tal como o browser de realidade aumentada Wikitude.

[caption]wikitude[/caption]

Por dentro do LG Maximo

A maior exigência do processamento das imagens a 3 dimensões é suportada pela tecnologia do processador com arquitetura trial-dual. O chip dual core é também dual-channel, processando os dados em dois canais paralelos, como se mostra no vídeo preparado pela LG.

Esta capacidade é também aproveitada para acelerar todas as outras funcionalidades não 3G do smartphone, como a navegação web, o acesso às aplicações e a exibição de ficheiros multimédia em 2D.

A primeira “vítima” deste “poder” é a autonomia da bateria. Se os smartphones actuais já conseguem viver pouco tempo longe do carregador elétrico ou por USB, o LG Maximo 3D não escapa a este destino, sendo que quanto mais intensamente usar o 3D mais vezes terá de recarregar a bateria…

Há formas de inteligentes de ir gerindo a capacidade, desligando o GPS e o Wi-Fi quando não estão a ser usados, por exemplo, e o sensor de luminosidade integrado no LG também ajudam, mas o melhor é manter o cabo USB por perto para o ligar a um computador, televisor ou tomada elétrica se a bateria começar a ficar perigosamente nos limites mínimos.

Mais haveria para dizer, mas a experiência com o LG Maximo 3D foi curta e muito centrada no 3D, pelo que ficam de fora outras áreas. Até porque quase nos esquecemos de que esta pequena máquina de jogos e câmara 3D também servia para telefonar e fazer as tarefas básicas de um telefone…

Por fim, deixamos o preço: o LG Maximo 3D custa 599,90 euros livre de operador e 459,90 euros, na Vodafone.

Fátima Caçador

Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Nota da Redação: Foram corrigidas duas gralhas.

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.