Os tablets já não estão nada moda como estiveram, por exemplo, em 2013. Ao longo dos últimos meses tem-se assistido a uma estagnação neste mercado e isso é visível tanto nos números das consultoras – que foram quase todas obrigadas a rever os valores de vendas que tinham apregoado -, como no número de equipamentos que chegam ao mercado.

Houve uma época em que algumas marcas anunciavam quase um tablet por mês. Variavam no tamanho, um pouco na especificações e sempre na esperança de conseguirem acertar nos desejos dos consumidores que ansiavam por um equipamento deste segmento.

Quem nunca entrou nessas euforias foi a Sony. A tecnológica lançou um tablet topo de gama por ano e nunca viu grande necessidade em fazer mais do que isso. Também nunca viu uma grande necessidade em lutar no segmento de baixa gama e apostou acima de tudo numa linha de preço onde o iPad sempre dominou. E por isso nunca teve grandes vendas.

Quem procura um tablet deve de facto procurar em segmentos de preço mais elevados – a partir dos 200 euros – pois uma boa parte das máquinas que existem no mercado abaixo deste valor exigem muitas contra-partidas aos utilizadores. Exceção feita talvez à Asus e à sua linha MemoPad, que aprendeu bastante pelo facto de ter sido a fabricante parceira do Nexus 7 da Google.

Equipamentos que nunca são atualizados, má otimização entre software e hardware, mas pior: equipamentos que apresentam ecrãs de qualidade muito questionável. E num tablet, onde o ecrã é tudo, ter uma má tela é como ter um meio-tablet. Os ecrãs são caros e isso reflete-se de imediato no valor dos equipamentos.

Mais uma vez a Sony não foi nesta linha de pensamento. Sempre fez os tablets à imagem dos seus melhores smartphones e por isso sempre os apetrechou com as melhores tecnologias.
E tudo isto leva-nos ao Xperia Z3 Tablet Compact, um equipamento em tudo inspirado na linha de smartphones Z3 e que apresenta características e um desempenho bem acima da média para um tablet.

[caption]Xperia Z3 Tablet Compact[/caption]

Poderá este ser um dos dispositivos mais interessantes na relação qualidade-preço que apresenta?

Mais uma folha de papel



O design é a primeira grande característica de destaque do Xperia Z3 Tablet. Isto porque até aqui a Sony tinha apostado sempre no tamanho de dez polegadas, mas agora repensou a estratégia para as muito mais manuseáveis oito polegadas.

O formato do equipamento torna-se ainda mais apelativo pois a Sony conseguiu criar um tablet realmente fino – apenas 6,4 milímetros – e realmente leve. E estes são dois elementos que causam uma boa impressão logo no primeiro contacto, além de serem um grande trunfo no quotidiano.

Pode por exemplo incluir o tablet dentro de um caderno A5 e fazer dele a sua folha multimédia, isto é, consegue misturar apontamentos físicos com uma ligação quase constante à Internet sem ter de carregar muito peso extra.

O ecrã tem uma qualidade um pouco acima do Full HD – 1.980x1.200 píxeis – e a concentração de píxeis é notória quando o utilizador está a ler textos na Internet, está a ver fotografias e vídeos ou está a jogar: no bom sentido claro. Quantas mais cores tiver o conteúdo, mais vibrante fica o ecrã do Xperia Z3 que corresponde quase na perfeição à resposta das diferentes tonalidades.

Parece-nos que a saturação de cores específicas, como o vermelho, acabam por tornar o resultado final um pouco artificial, mas o detalhe e a definição dos elementos consegue rapidamente equilibrar a balança.

Não é o ecrã com a maior resolução do mercado em tablets – basta pensar por exemplo no Galaxy Tab S -, mas a que existe no Xperia Z3 será suficiente para qualquer tarefa e para deixar os seus olhos colados nos conteúdos que está a consumir.

[caption]Xperia Z3 Tablet Compact[/caption]

O grande defeito deste ecrã de oito polegadas está nos campos de visão. Apesar de se ver nitidamente todas as imagens de qualquer ângulo, quando não está numa posição mais direta relativamente aos olhos o ecrã parece ter uma cobertura brilhante que parece tornar o branco em fluorescente e acaba por favorecer os reflexos.

Na prática isto quer dizer que se estiver a mostrar um vídeo no YouTube aos seus amigos, ninguém vai ver o filme da mesma forma. Não é um caso grave, mas é sem dúvida um apontamento negativo que não deve ser descurado.

E se para o entretenimento muitos consideram que de facto as oito polegadas são as ideais, então e para trabalhar? Não é o melhor tablet nesse sentido, tanto que equipamentos um pouco mais grossos e maiores são sem dúvida mais apelativos ao nível da produtividade.

No entanto a forma como o tablet está construído faz parecer que as oito polegadas são bem mais generosas e o utilizador consegue sem grande dificuldade escrever um texto e um email, sobretudo se optar pelo posição horizontal. Mas há também aqui um defeito: devido ao perfil estreito do equipamento, no modo horizontal o ecrã tem bastante largura, mas pouca altura. Quer dizer que se estiver a escrever num backoffice, por exemplo, vai precisar de estar sempre a reajustar a página ao parágrafo que está a escrever.

Desempenho irrepreensível



Isto já foi escrito a propósito do Xperia Z2, do Xperia Z3 e agora deste “menino”. A otimização do software com o hardware é impecável e não há engasgos, tudo é rápido e fluído.

O processador Snapdragon 801 de quatro núcleos dá conta de todas as tarefas e a unidade gráfica incluída acompanha à altura, seja no streaming de vídeo em Full HD ou seja num jogo com gráficos mais aprimorados – como Batman Arkham Origins.

E o desempenho do tablet atinge o seu ponto mais alto quando o utilizador o emparelha com a PlayStation 4 e pode jogar títulos como Grand Theft Auto V numa divisão à parte, como o quarto, desde que garanta apenas a cobertura de Internet necessária. É necessária uma aplicação específica para isso, mas no que ao desempenho diz respeito, só há bons apontamentos a assinalar.

[caption]Xperia Z3 Tablet Compact[/caption]

Navegar na Internet é rapidíssimo tanto em Wi-Fi como em 4G, se for essa a versão escolhida. Neste campo de análise, está sem dúvida entre os melhores tablets do mercado.

Naquilo em que a Sony é boa, é onde o tablet mais falha



Já aqui foi escrito algumas vezes que apostar em grandes câmaras fotográficas, sobretudo traseiras, não faz grande sentido num tablet. A frontal ainda tem a utilidade das videochamadas e deve ser aí que as marcas devem fazer a concentração de megapixéis.

Mas a qualidade das fotografias conseguidas pelo tablet Xperia Z3 não é satisfatória e esse é um ponto que deve constar desta análise. Imagens pouco definidas, cores pouco fiéis e baixos níveis de contraste são logo os elementos que se destacam pela negativa.
E nem o grande número de opções de edição e aplicações dedicadas à produção de conteúdos salva esta vertente.

Outro aspeto onde o dispositivo não enche as medidas é na sua robustez. O equipamento está muito bem desenhado e tem bons materiais de construção, mas além de parecer frágil, não transmite a mesma solidez que os smartphones da Sony. Umas “pancadinhas” na parte traseira dão até a ideia de que em algumas partes o tablet é oco.

Não foi assim que a Sony habituou os clientes e sem dúvida alguma que o Xperia Z3 Tablet parece menos premium do que os seus “irmãos” smartphones.

Há uma diferença entre smartphones e tablets



A Sony tem uma linha de pensamento e aplica-a aos seus equipamentos. Mas nem tudo funciona da melhor forma em diferentes formatos. O facto de o tablet ser à prova de água não é uma característica que nos pareça relevante em comparação com os smartphones. Também o software da câmara fotográfica cheio de efeitos de realidade aumentada também não parece ter aqui um lugar confortável – sobretudo depois de conhecer a qualidade da câmara.

São características bem-vindas, mas se não existissem não se sentia a sua falta. Isso e as aplicações que a Sony teima em instalar nos seus dispositivos – como o Video Unlimited – que não têm qualquer uso: o serviço nem funciona em Portugal. Estas apps não prejudicam o desempenho do equipamento, mas devia ser dada a opção de escolha ao utilizador de as querer instalar no início e não ter de aguentá-las para sempre – ou até optar pelo desbloqueio root.

Considerações finais



O Xperia Z3 Tablet Compact é excelente como tablet. Tem um ecrã generoso, de grande qualidade e com uma boa reprodução de cores. Se navegar na Internet, jogos e vídeos é o que procura num dispositivo, então a aposta neste equipamento é segura.

Uma última referência para o muito bom desempenho da bateria que consegue garantir uma autonomia de vários dias em utilização normal, aguentando mais de uma dezena de horas mesmo nas tarefas mais exigentes. Se a bateria estiver a 50% quando sair de casa e se pretende jogar no caminho entre o trabalho e casa, fique a saber que tem “sumo” para isso e para muito mais.

[caption]Xperia Z3 Tablet Compact[/caption]

Os defeitos que o equipamento tem foram apontados ao longo do texto, mas não há nenhum que condicione de forma séria todo o valor do pacote. Por isso a grande questão que se coloca é: será a melhor escolha dentro do seu segmento de preço?

O preço do tablet começa nos 379 euros para a versão 16GB, subindo para os 429 euros com 32GB e para 479 euros na versão 16GB, mas com suporte para 4G - esta última foi a versão testada pelo TeK.

Esta é uma resposta difícil pois o iPad Mini está apenas a alguns euros de distância e a Samsung tem um todo-poderoso Galaxy Tab S. Enquanto o Samsung perde na otimização do software, o Xperia só perde ao nível do ecossistema: não que o Android seja pior que o iOS, mas o iPad tem centenas de milhares de aplicações desenhadas especificamente para o seu formato. No Android isso ainda acontece muito pouco.

Se a Sony estivesse disposta a baixar o Xperia Z3 para os 300 euros, então seria uma escolha muito fácil de fazer. Existem concessões mínimas, mas naquilo que realmente importa num tablet, o Xperia Z3 é um verdadeiro topo de gama. Mas como há concorrentes de peso, talvez só o gosto pessoal por marcas ou sistemas operativos é que pode fazer pender a balança.

Os que comprarem o Sony Xperia Z3 Tablet Compact estão a comprar uma grande máquina e que vai garantir um nível de desempenho acima da média. Se procura algo mais para o segmento profissional talvez deva olhar noutra direção e nem sequer apostar de todo nos tablets.

Outros fatores – como o facto de já ter uma PlayStation 4 ou de vir a querer uma – podem no entanto revelar-se cruciais a favor do Xperia Z3 Tablet.

Rui da Rocha Ferreira


Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.