A apresentação das startups selecionadas foi feita hoje, em Lisboa e Fernando Medina abriu a sessão referindo que este “é um dia de comemoração, mas também de mobilização da comunidade empreendedora de Lisboa e para lá de Lisboa”.

O presidente da Câmara de Lisboa reforçou o compromisso da autarquia com todo o ecossistema empreendedor para que a cidade “se torne um polo central de criatividade e inovação no país e na Europa”. Mas será que este objetivo fica ainda demasiado distante?

“Onde estão os empreendedores e o que estão eles a fazer?” foi a pergunta que João Borga, responsável pela Rede Nacional de Incubadoras (RNI) disse ter feito há um ano enquanto questionava onde os mesmos se podiam juntar para desenvolver os seus projetos.

 

Em resposta, João Borga enumerou as várias medidas criadas para apoiar o desenvolvimento de projetos empresariais ainda em forma de ideia, como o StartUp Voucher que consiste na atribuição de uma bolsa mensal de 700 euros, durante um ano,  a jovens entre os 18 e os 35 anos. Este concurso, que também fornece mentoria e assistência técnica aos empreendedores, apoiou 245 projetos e 409 novos empreendedores na sua primeira edição. Outras medidas referidas foram o Vale de Incubação,  o Programa Momentum e o Programa Semente.

Na apresentação das 150 startups vencedoras, Paddy Griffith, Head of Startups do Web Summit, mostrou-se satisfeito com o trabalho que está a ser desenvolvido com a StartUP Portugal e disse que "de um modo geral as candidaturas foram extremamente interessantes e foi complicado selecionar as vencedoras. As 150 startups que venceram são as mais promissoras de Portugal pelo que lhes desejo boa sorte no Web Summit.”