A representante da capital francesa na cerimónia anunciou que o prémio vai ser usado para criar uma “e-escola” gratuita em Paris, destinada a formar uma nova geração nas competências digitais.

O galardão atribuído pela Comissão Europeia pretende distinguir o esforço de transformação das cidades europeias, no sentido da aposta na inovação e sustentabilidade. A primeira cidade vencedora deste prémio foi Barcelona. Em 2016 foi distinguida a capital holandesa, Amesterdão.

Na conferência de imprensa dada a seguir sobre a atribuição do prémio, Carlos Moedas não escapou a uma pergunta de foro político, mais da competência da “colega” responsável pela pasta europeia da concorrência, que tinha estado no palco principal do Web Summit na conferência de abertura do Web Summit.

O comissário da pasta da Investigação, Ciência e Inovação respondeu sobre as gigantes tecnológicas norte-americanas e a polémica sobre a localização ou não do pagamento de impostos. “É uma das coisas que temos de resolver depois da crise económica:  temos de ser melhores a distribuir. Se produzimos num determinado país, temos de pagar impostos nesse país”, sublinhou.

“Temos de seguir regras. Não podemos ser ingénuos e achar que podemos viver num mundo sem regras. Temos que trazer mais justiça ao jogo dos impostos. Temos de ter mais reciprocidade, porque somos um mercado aberto na Europa, algo que não acontece em muitas partes do mundo. Temos de civilizar a globalização”, rematou.

O Web Summit decorre até dia 9 de novembro e o TEK está a acompanhar os momentos mais importantes, nomeadamente em imagens. Veja a edição de 2017 do evento "por dentro".

 

Nota de redação: A notícia foi atualizada com as declarações durante a conferência de imprensa que aconteceu à entrega dos prémios.