A utilização de robots em missões no espaço tem vindo a ser desenvolvida pela NASA que inaugura agora uma nova fase com a integração do Robonaut 2 na equipa da Estação Espacial Internacional. O robot, desenvolvido em parceria com a GM, é o primeiro construído nos Estados Unidos a chegar à Estação e é o primeiro robot humanóide dentro numa missão espacial.

As primeiras missões do Robonaut 2 são de limpeza da Estação Espacial Internacional, substituindo os astronautas na higiene da estação, mas à medida que o programa progride o robot deverá assumir também outras tarefas mais complexas, como reparações no módulo, estando previstos também alguns passeios no espaço.

O Robonaut 2, ou R2, chegou em Fevereiro à Estação Espacial Internacional e faz parte da missão STS-133, mas só vai começar a ser usado com a equipa que ainda espera uma data para partir, depois dos atrasos provocados pelo mau tempo e alguns problemas técnicos do Space Shuttle Endeavour. A NASA já garantiu que a partida só acontece depois de dia 8 de Maio, mas a nova data só deverá ser fixada na próxima semana.

O Space Shuttle Endeavour vai levar a bordo uma encomenda vital para o Robonaut 2, que permitirá calibrar os sistemas de controlo. Só com a chegada deste pacote de cabos e conectores o robot estará pronto para começar a trabalhar nas tarefas diárias que foram definidas.

A NASA afirma que o R2 é o robot mais ágil alguma vez construído devido à grande semelhança das suas mãos com as humanas. Todas as ferramentas e equipamento a bordo da estação espacial foram concebidos para serem utilizados por pessoas e o R2 tem de ser capaz de desempenhar as tarefas da mesma forma que qualquer um dos seus companheiros astronauta.

Os braços e mãos do R2 têm um esqueleto articulado semelhante ao de um humano e as mãos têm dedos finos e polegares essenciais para algumas tarefas. Tal como os tendões humanos ligam o músculo ao osso, o R2 tem tendões que ligam as articulações do esqueleto a sensores e activadores na palma da mão, o que permite um maior controlo da precisão e força de reacção.

A participação no programa oferece à GM/Chevrolet a possibilidade de desenvolver tecnologia de ponta em termos de controlo, sensores e visão, que poderá ser usada para criar automóveis e locais de trabalho mais seguros.

Veja o vídeo de explicação da missão e da parceria entre a NASA e a GM.

Mais informação e vídeos podem ser encontrados no site da NASA dedicado ao projecto.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.