Ter internet no smartphone ou no tablet quando estamos longe de uma rede Wi-Fi é hoje uma “obrigatoriedade”, principalmente quando, apesar de estarmos de férias, queremos estar sempre ligados e a par do que vai aparecendo nas redes sociais.

Praticamente todos os terminais do momento permitem estabelecer ligações de banda larga móvel 4G através do cartão SIM correspondente ao contrato estabelecido com a operadora móvel, mas… e se quisermos ligar equipamentos adicionais e/ou partilhar o sinal com outras pessoas?

A resposta é simples: o ideal pode ser um router portátil de banda larga móvel, equipamento bastante sugerido pelas operadoras móveis, inclusive, “vulgarmente” conhecido como hotspot 3G ou 4G.

E o conceito de base também é bastante simples: trata-se de um dispositivo pequeno e leve, normalmente até mais compacto que um smartphone de dimensão média, que integra uma bateria recarregável através de uma porta micro USB.

Ou seja, o hotspot (ou router/modem de banda larga móvel) pode ser recarregado com recurso à tradicional ligação eléctrica (mais rápido) ou via ligação por USB a qualquer computador ou portátil, por exemplo. O essencial, contudo, é que o hotspot está preparado para acolher o cartão SIM “normal” dos smartphones (Micro SIM, quase sempre) e assim espalhar o sinal de internet móvel.

 

Depois, dependendo das características de cada modelo, varia não só o preço como a capacidade em geral. Os modelos compatíveis com a norma 4G, por assim, dizer são hoje os mais procurados e eficientes no que diz respeito a uma relação alcance/qualidade/velocidade/preço.

Assente neste tipo de ligação é possível chegar a velocidades de download e upload de dados de 150 e 50 Mbps, em teoria. É esta a média entre os serviços do género nos tempos que correm, sendo que vários equipamentos prometem igualmente autonomias na casa das dez horas.

Mas tudo depende do serviço de banda larga móvel que tem contratado: se a sua ligação é 3G, não terá vantagens em adquirir um modelo 4G, por exemplo, pois o equipamento estará limitado em termos de velocidades pelo cartão Micro Sim, como seria de esperar.

A vantagem, neste caso, poderá ser apenas o raio de alcance da antena (normalmente interna, mas há modelos com antenas externas…) e a quantidade de equipamentos que podemos ligar ao hotspot. Existem modelos que suportam qualquer coisa como até 30 equipamentos ligados em simultâneo.

Por outro lado, há outro ponto essencial a ter em conta: a cobertura proporcionada pela operadora móvel. Mesmo com um hotspot 4G bastante eficaz e a mais rápida das ligações contratada, se não existir uma boa cobertura de rede o desempenho do conjunto sairá certamente afectado.

Questões de energia

Regressando um pouco atrás, a questão essencial neste tipo de equipamentos é quase sempre a (reduzida) autonomia, quase sempre insuficiente seja qualquer for a utilização que estamos a dar à ligação de internet móvel e respetiva partilha de sinal.

À partida, quanto mais caro e bem composto em termos de características for o hotspot 4G que selecionar, mais tempo durará a bateria. E quanto mais equipamentos estiverem ligados, menos autonomia existirá, em teoria.

Neste sentido, o nosso conselho é simples: da mesma forma que conta com a ajuda de um powerbank para “ressuscitar” o seu smartphone quando a bateria chega ao limite, também no uso de um hotspot 4G pode recorrer à mesma solução.

Um powerbank com 10.000 mAh, por exemplo, deverá até ser suficiente para recarregar tanto o seu hotspot de banda carga móvel e o seu smartphone ou tablet pelo menos uma vez, dependendo dos modelos em causa.

No fundo, é tudo uma questão de encontrar a solução certa e adequada às suas necessidades de ligação em movimento. Procure na galeria acima o modelo que mais combina com o que procura num hotspot 4G, estão lá algumas sugestões do género que reunimos.