(Actualizada) Segundo os últimos números conhecidos, já foram distribuidos mais de um milhão de portáteis no âmbito do programa e-escola e e-escolinha, lançados pelo Governo para facilitar aos alunos, professores e formandos do Novas Oportunidades o acesso a computadores portáteis e ligações de banda larga.

As ofertas do e-escolas passam pelos operadores de comunicações móveis, mas já sofreram múltiplas alterações, de que o TeK tem vindo a dar conta em diversos artigos.

Este ano as propostas dos operadores encolheram significativamente, o que limita a escolha dos alunos do ensino público e do ensino privado, que só mais recentemente tiveram direito aos tão esperados códigos para encomendarem os equipamentos.

O alegado esgotamento das verbas do Fundo para a Sociedade da Informação, que alimentavam a subsidiação dos equipamentos por parte dos operadores móveis, e as polémicas que resultaram das dúvidas sobre a utilização desse dinheiro, podem justificar este desinvestimento. Sobretudo por parte da TMN, que já entregou mais de 750 mil portáteis no âmbito do e-escolas e e-escolinhas, e que foi a operadora que mudou de forma mais radical a sua oferta.

Além da mudança de equipamentos, as regras mantêm-se no programa, tal como foram definidas de início pelo Governo, com os alunos a pagar entre 0 e 150 € para entrarem no programa e receberem o computador portátil, consoante o escalão de rendimento da família.

A mensalidade de acesso à Internet é também definida por estes escalões e varia entre 5 e 17,5 €, para os tarifários básicos. Contas que estão bem explicadas no quadro abaixo.

[caption]Nome da imagem[/caption]

De notar porém que desde o início do programa os operadores já actualizaram os escalões de velocidade e, também, de preço. Os alunos do terceiro escalão, que pagam a mensalidade de Internet mais cara, têm agora de pagar 17,87€ por 2 Mbps, para limites de tráfego de 1GB.

A lógica aplicada é de um desconto de 5 euros sobre o valor da oferta comercial das empresas.

Existem ainda outras opções para velocidades mais elevadas, de 3,6 Mbps a 5 Mbps, este último só na Optimus. No caso dos 3,2 Mbps a mensalidade a pagar durante 36 meses é de 25,39 euros. Por 5 Mbps os clientes da Optimus pagam 35,5 euros no escalão máximo durante 36 meses....

Com o novo ano lectivo à porta, o TeK fez uma ronda pela oferta actual da Optimus, TMN e Vodafone no âmbito do e-escolas para que a escolha dos novos alunos a beneficiarem do programa possa ser mais informada.

Optimus continua a reforçar oferta

A operadora da Sonaecom é a que mantém uma oferta mais completa para o programa e-escolas. Desde Janeiro que as opções aos alunos que escolhem esta operadora têm-se mantido à volta dos quatro equipamentos, mas a promessa é de continuar a actualizar, refere a direcção de comunicação institucional ao TeK.

[caption]Nome da imagem[/caption]

A HP, Toshiba, Acer e Dell têm-se mantido fielmente nas escolhas da operadora, mas com propostas diferenciadas, em relação à capacidade de memória, ligação HDMI e Bluetooth e até a uma opção mais ecológica, o Satellite L500 da Toshiba que consome menos energia.

O mínimo na memória RAM é de 4 GB e os ecrãs são todos de 15,6 polegadas, com placas gráficas dedicadas, o que adivinha um bom desempenho em aplicações mais exigentes.

[caption]Nome da imagem[/caption]

Conte ainda com a possibilidade de entregas imediatas, em exclusivo na Optimus, já que a TMN abandonou essa possibilidade. Segundo a operadora, a entrega imediata está disponível para todos os segmentos do programa, e para todos os modelos de computadores, em mais de 3 dezenas de lojas Optimus em todo o país.

TMN à espera de renovação
Desde o primeiro momento que a TMN esteve à frente na oferta e-escolas, com as propostas mais diferenciadoras que incluíam até o único modelo do programa com sistema operativo open source. Mas actualmente a gama da operadora é mais modesta e tem apenas dois modelos, um da Acer e um da portuguesa Insys.

[caption]Nome da imagem[/caption]

Apostando em memória mínima de 5 GB de RAM e na diferenciação em relação à dimensão dos ecrãs, com um de 15,6 polegadas e um de 12 polegadas, mais portátil, os dois modelos contam também com placas gráficas dedicadas e discos de 500 GB.

[caption]Nome da imagem[/caption]

A operadora promete porém para o regresso às aulas uma reformulação da oferta, mantendo porém a aposta na Acer e na Insys e introduzindo um modelo com ecrã de 14 polegadas.

Vodafone mantém o rumo
Do lado da Vodafone pouco há a assinalar. A empresa tem agora na sua oferta um único portátil, da Toshiba, depois de em Janeiro ter apostado na Dell e Compaq.

[caption]Nome da imagem[/caption]

O portátil tem as características exigidas para qualquer aluno ou professor, mas com menos memória e disco do que os modelos que integram a oferta de outras operadoras.

[caption]Nome da imagem[/caption]

Com a abertura do ano lectivo e a distribuição esperada de novos códigos para o programa é possível que as ofertas do e-escolas sofram novas alterações, às quais ficaremos atentos.

Fátima Caçador

Nota da Redacção: A notícia foi actualizada com mais informação sobre as mensalidades de acesso à Internet no e-escolas. Foi também corrigida uma informação em relação à mensalidade a pagar na Vodafone, cuja informação presente no site induzia em erro.

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.