O que é mais normal em qualquer sistema de som? Que todas as sonoridades, seja música a sair de um kit de colunas, sejam os efeitos sonoros de um videojogo, provenham dos altifalantes que as emitem numa “viagem” horizontal e direta, por assim dizer, chegando ao utilizador a partir dos canais esquerdo e direito e de trás para a frente. Mesmo que estejam inseridas em conjuntos surround 5.1 ou 7.1, por exemplo.

Basicamente, o som viaja a duas dimensões, e sem “acontecimentos” em particular no tempo. No entanto, para explicar o que faz a tecnologia Dolby Atmos (que surgiu em 2012 em salas de cinema norte-americanas e hoje marca presença até em gadgets de som domésticos…), é preciso referir que estes sistemas como que acrescentam uma dimensão ao som, fazendo com que seja também projetado na vertical. Ou para cima.

E também de acordo com o que vai acontecendo em termos sonoros no conteúdo que está na origem, nomeadamente vídeo. Ou seja, um sistema de som equipado com esta tecnologia surround faz com que os vários altifalantes que o compõem consigam reproduzir o som em função da nossa posição e do comportamento dos elementos que estão nas imagens e emitem esse som.

Clique nas imagens para ver os detalhes

Um exemplo simples? Num jogo ou num filme, um avião de combate que nos sobrevoa da esquerda para a direita. Se fechamos os olhos, começamos por ouvi-lo ao longe e vindo do horizonte mais à esquerda; depois percebemos que nos está a sobrevoar; e, por fim, os últimos efeitos que ouvimos são lá atrás e mais à direita. São os vários altifalantes na sala que conseguem fazer isto. Ou um equipamento de som que seja capaz de simular estes efeitos (com base num sistema 5.1 ou 7.1, à partida).

São precisamente equipamentos desse género que encontra na galeria de imagens acima, visto que o Dolby Atmos é uma tecnologia certificada que já podemos encontrar em portáteis, barras de som, televisores, consolas de jogos, auscultadores, etc. Todas elas “peças” de tecnologia que podemos ter em casa para ver filmes ou jogar. E para termos o som a “voar” em nosso redor, além de o podermos ouvir “limpo” e altamente definido.

A má notícia é que este tipo de tecnologia pode ser “servida” em equipamentos topo de gama, que são naturalmente mais caros. Mas talvez tenha o Dolby Atmos mais próximo de si do que julga e por valores muito mais reduzidos. Ou até de forma gratuita. Aproveite.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.