Já se sabe que a Apple não deixa adormecer os fãs à espera de novidades. A empresa está constantemente a fazer prender a respiração da concorrência, enquanto espera pelos detalhes das suas novidades que, não raras vezes, surpreendem tudo e todos. Não é caso das novidades apresentadas ontem, que embora marquem uma evolução no portefólio de soluções da empresa são o que se pode chamar de novidades tranquilas.

Diríamos que os elementos mais importantes dos novos lançamentos, que visaram as áreas de portáteis e computadores de secretária da empresa, são o resultado de um esforço crescente para melhorar a eficiência energética das máquinas e a performance, sem esquecer o design.

Uma das novidades foi a actualização da linha MacBook com um novo modelo que adopta algumas das características mais emblemáticas do MacBook Pro. Com novo design unibody em policarbonato, marcado pela retroiluminação LED, trackpad Multi-Touch em vidro e um novo sistema de bateria embutida, o novo MacBook oferece sete horas de autonomia.

[caption]Macbook[/caption]

O modelo que espelha a evolução está disponível por 899 euros e é posicionado pela empresa para estudantes e novos utilizadores. Este novo Mac pesa 2,1 quilos e oferece um ecrã de 13,3 polegadas com resolução de 1280x800 pixéis e câmara de vídeo. Está equipado com processador Intel Core 2 Duo de 2.26 GHz e dispõe de uma RAM de 2GB (expansível até 4 GB), disco rígido de 250GB e gráficos NVIDIA GeForce 9400M integrados e é uma máquina ambientalmente consciente com estatuto EPEAT Gold** e cumpridora dos requisitos Energy Star 5.0. O sistema operativo é, sem surpresas, o Mac OS X Snow Leopard.

A já referida possibilidade de expansão da RAM do MacBook para os 4 GB é uma das possibilidades do serviço build-to-order, que permite a personalização do equipamento. É o mesmo serviço que permite a opção por discos rígidos 320GB 5400 rpm ou 500GB 5400 rpm, entre outras opções.

No domínio da computação de secretária, a Apple reformulou a linha iMac com um novo ecrã widescreen com rectroiluminação LED de 21,5 e 27 polegadas, ambos com formato 16:9. Sobre os ecrãs interessa ainda destacar que os 2.560x1.440 pixéis suportados, representam um incremento de 60 por cento face à "quantidade disponível" no modelo anterior de 24 polegadas.

[caption]iMac[/caption]

O design do novo modelo também é uma novidade, traduzida na aposta em vidro e alumínio, para a carcaça. Esta nova linha é suportada em processadores Intel Core 2 Duo a partir de 3.06 GHz e em processadores Core i5 e i7 quad-core, com claros objectivos de melhorias ao nível da performance.

A nova linha iMac está disponível a partir de 1099 euros. Os modelos equipados com processadores Intel Core i5 e i7 quad-core só serão fabricados por encomenda em Portugal. Quem quiser pode encomendar a partir de Novembro.

Na linha de secretária interessa ainda destacar o novo Mac Mini que a empresa assegura ser o desktop mais eficiente do mundo em termos energéticos, cumpridor de todos os requisitos Energy Star 5.0 e com estatuto EPEAT Gold***.

Um reforço de memória, para o dobro é a principal novidade deste refrescamento com preços a partir de 549 euros. Em troca oferece - em entrada de gama - um processador Intel Core 2 Duo de 2.26 GHz e 2GB de memória DDR3 1066 MHz, disco rígido de 160 GB, cinco portas USB 2.0, FireWire 800, gráficos integrados NVIDIA GeForce 9400M e uma SuperDrive.

[caption]Mac Mini[/caption]

Na versão acima, os fãs da marca podem contar com processador Intel Core 2 Duo a 2.53 GHz, 4GB de memória e um disco rígido de 320GB por 749 euros e no topo da tabela está uma versão já próxima dos mil euros (949 euros), configurada para o Mac OS X Snow Leopard Server, com dois discos rígidos de 500GB.

Outra novidade apresentada pela Apple foi o novo rato wireless Magic Mouse, com a sua tecnologia Multi-Touch, já usada no iPhone e no iPod Touch ou mesmo nas trackpads dos portáteis Mac. No novo iMac o acessório é peça integrante - bem com um novo teclado wireless -, mas também pode ser adquirido em separado por 69 euros (em Portugal a partir do final do mês). De sublinhar, no entanto, que o dispositivo só funciona em sistema com Mac OS X Leopard com versão 10.5.8, ou superior.

[caption]magic Mouse[/caption]

O Magic Mouse converte a área de contacto disponibilizada ao utilizador de uma simples roda ou um botão, para toda a zona superior do dispositivo, que possa a ser receptiva ao toque. Ao utilizador é dada a possibilidade de configurar gestos mais habituais através do System Preferences, para facilitar a interacção com o rato.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.