A inovação tecnológica tende a criar produtos híbridos. Mistura as coisas. Telemóveis que só não tiram cafés (até ver!), relógios que medem até o índice de massa gorda do proprietário ou frigoríficos que transmitem recados.




Goste-se ou não, nem as mais antigas e conceituadas marcas de câmaras fotográficas resistem à tentação de acrescentar funcionalidades e apresentar produtos cada vez mais autónomos.



Divulgamos três exemplos recentes, de fabricantes distintas, que ilustram esta tendência. Uma máquina da Nikon que fotografa, filma e projecta tudo na parede mais próxima, "a primeira câmara fotográfica digital 3D do mundo" e a última invenção da Cyber-shot: máquinas que já nem precisam de fotógrafo.



[caption]Cybershot TX1[/caption]

As Sony Cyber-shot vêm equipadas com um modo capaz de identificar sorrisos, calcular os tempos de exposição e abertura do obturador, focar e efectuar o disparo. Tudo automático e sem necessidade de premir botões. Mas isto só por si não seria novidade. A diferença reside no facto dos novos modelos TX1 e WX1 serem os primeiros compatíveis com o acessório recentemente concebido pela marca: o Party-shot.

A combinação do Party-shot (IPT-DS1) com a "Detecção de Rostos" e "Obturação por Sorriso" permitem que as máquinas prescindam do fotógrafo e façam sozinhas todo o trabalho de "reportagem" nas festas caseiras, garante a marca. Como?



[caption]Acessório CyberShot [/caption]

O equipamento - que é opcional e vendido separadamente - conta com uma "docking" base sobre a qual é colocada a máquina. A partir daí, o Party-shot encarrega-se dos movimentos da câmara, ajustes de zoom e focagem, procura e selecção de caras e sorrisos e, claro, dos disparos.


As novas câmaras compactas e o Party-shot chegam em Setembro ao nosso país, mas a TX1 e a WX1 já se encontram em "pré-encomenda" na loja virtual, por 380 e 350 euros, respectivamente. As máquinas têm resolução de 10.2 Megapixéis e vêm equipadas com o novo sensor Exmor R CMOS e um processador BIONZ que, segundo a fabricante, permitem uma captação mais rápida e imagens com menos ruído, mesmo em ambientes com pouca luz. Ambos os equipamentos permitem também gravar vídeos em HD (720 pixéis).



[caption]Cybershot W1[/caption]

Também durante o próximo mês deverá chegar às lojas norte-americanas a Coolpix S1000pj da Nikon, mas ainda nada garante que atravesse o Atlântico. Nos EUA, a primeira Nikon a integrar um projector LED vai custar 430 dólares (cerca de 304 euros).


Trata-se de uma câmara compacta semelhante a outras da fabricante japonesa, mas permite projectar vídeos e imagens com uma dimensão até 40 polegadas (medida diagonal) numa superfície lisa.


Ainda a propósito das festas caseiras, às imagens em apresentação podem ser acrescentados efeitos e música. O equipamento vem acompanhado de um comando que tanto serve para accionar o projector como para fazer disparar a câmara.



Com 12 megapixéis de resolução fotográfica e captação de vídeos em HD (1280x720 pixéis), a máquina conta com um zoom óptico até 5x e vem equipada com LCD de 2,7 polegadas, para quem gosta de "conferir antes de expor".



[caption]Nikon Coolpix S1000pj [/caption]

Para o fim guardamos talvez o menos "ortodoxo" dos dispositivos dedicados à fotografia. Numa altura em que até o YouTube já disponibiliza vídeos a três dimensões, a Fujifilm apresenta aquilo que diz ser "a primeira máquina fotográfica digital 3D do mundo".


O modelo inclui duas lentes e dois sensores de imagens, que tornam possível a produção de fotografias na forma tridimensional. A máquina tira duas fotografias em simultâneo e combina as imagens para obter um efeito de profundidade, mas também produz fotos comuns, em 2D. E vídeos (com uma resolução de 640 x 480 pixéis).



[caption]Fujifilm[/caption]

O ecrã LCD da FinePix Real 3D W1 tem 2,8 polegadas e tanto reproduz imagens em 2D como em 3D, sem o auxílio de óculos azuis e vermelhos. A resolução fotográfica da câmara é de 10 megapixéis.


Por enquanto, existe apenas a indicação de que a câmara com uma profundidade de campo acima do habitual vai estar à venda na loja virtual da Fujifilm, e que o preço deverá rondar os 600 dólares, cerca de 425 euros.




Nota de Redacção: A notícia foi corrigida numa informação relativa à Nikon apresentada.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.