A Microsoft escolheu as ilhas Orkney, na Escócia, para instalar um centro de dados debaixo de água com o objetivo de investigar se é possível aumentar a eficiência energética, bem como reduzir o custo do arrefecimento associados aos data center tradicionais.

Na altura, Ben Cutler, o responsável pelo projeto denominado Natick, explicou que dessa maneira seria possível conseguir “um arrefecimento muito mais eficaz dentro de água do que em terra”.

A instalação deste centro de dados “aquático” é também uma tentativa de criar uma alternativa mais sustentável para o armazenamento de dados, visto que pode ser alimentado por torres eólicas localizadas perto da água.

Por fim e tendo em conta que cerca de metade da população mundial vive perto da costa, este data center também vai permitir um acesso mais rápido aos serviços online.

Para ajudar a perceber os desafios que poderiam surgir à volta destes repositórios de dados, a empresa instalou duas câmaras para fazer streaming ao vivo do data center submarino.

Os interessados em saber o que se passa debaixo de água só têm que visitar o site do projeto e escolher a opção “Live Cameras”.

Os servidores instalados neste centro de dados podem ficar no fundo do oceano durante cinco anos.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.