As redes sociais vieram para ficar. Nem todas somam um sucesso à dimensão daquele que hoje faz a história do Facebook, com cerca de 500 milhões de clientes, mas as propostas multiplicam-se. E os utilizadores também.



Um pouco por todo o mundo os utilizadores de Internet ganham hábitos de utilização destas plataformas que permitem fazer novos contactos ou encontrar quem há muito não se via, socializando à distância.



Hoje dedicamos algum tempo aos projectos nacionais que também procuram tirar algum partido deste fenómeno. Mais recentes ou mais antigas são várias as redes sociais que hoje povoam o ciberespaço e que nasceram da criatividade portuguesa.



O exemplo mais conhecido será talvez o do TheStarTracker, que o TeK já referiu em diversas ocasiões e que nasceu com o objectivo de criar um ponto de encontro e troca de experiências à medida do talento português espalhado pelo mundo. O projecto, que só pode explorar quem for convidado a entrar, tornou-se bastante mediático, mas não é o único a nível nacional, nesta aventura das redes sociais.



Saltamos já em seguida para o lappiz.com. Dirigido à comunidade universitária, o Lappiz afirma-se como uma mistura de rede social com plataforma de partilha de conteúdos (académicos, notas de estudo, exercícios, relatórios ou exames). Lançada no início de 2009, esta rede social conta hoje com um pouco mais de 3 mil utilizadores.



Por trás da plataforma está a Innovation Point, uma empresa do grupo DST que mantém mais dois projectos nesta área, embora com âmbitos totalmente diferentes.

[caption]Nome da imagem[/caption]

O memorialportal.com é um deles. Neste caso, o objectivo é "preservar e partilhar memórias daqueles que já partiram".



A plataforma permite a quem o deseja prestar uma homenagem, ou simplesmente acumular informação sobre pessoas que já faleceram. Com uma audiência bem menos significativa que a do projecto anterior, o memorialportal.com conta com 48 utilizadores. A utilização do site é gratuita apenas num período experimental de 15 dias.



E passamos a bola para uma nova área, a desporto. Nesta área pode encontrar pelos menos duas referências nacionais, a Rayleague (também desenvolvida pela Innovation Point) e a Só Futebol. A primeira tem como principal objectivo assumir-se como uma montra de talentos para quem ambiciona ser futebolista. Está disponível numa versão normal gratuita e em versão Premium, com mais funcionalidades. Conta com 1.900 utilizadores registados a partir de 40 países. A segunda está mais orientada para a troca de ideias entre treinadores de bancada e adeptos de futebol em geral.

[caption]Nome da imagem[/caption]

Continuando, nas plataformas temáticas há ainda a assinalar no "ciberespaço nacional" uma rede social onde o principal objectivo é falar de política. A Socialaicos.com quer promover o encontro entre políticos, políticas e cidadãos. Esperam os promotores que os políticos usem a plataforma para anunciar campanhas, iniciativas e eventos. Do lado dos cidadãos, o espaço quer ser de discussão e debate de ideias.

[caption]Nome da imagem[/caption]

A mesma empresa responsável pelo desenvolvimento desta rede social, a Markup, assegura também a gestão de outra plataforma do género, a Markupsocial. Neste caso, o objectivo é aproximar clientes e marcas, mas também profissionais do sector. Espera-se que as marcas ocupem o espaço com campanhas e iniciativas que explorem um canal de contacto com o seu público mais próximo e gratuito.



Ainda no campo dos projectos de interacção social com fins bastante específicos, vale a pena assinalar o showz.me. A lógica desta plataforma é de facilitar a vida a quem gosta de estar informado sobre espectáculos e eventos culturais em geral, sem esquecer a componente de comunidade e a possibilidade de fazer interagir quem está ligado.

[caption]Nome da imagem[/caption]

Fortemente divulgada na altura de lançamento e nos meses seguintes, a Adegga.com é mais um projecto nacional a destacar-se na área das redes sociais direccionadas a temas específicos.

A Adegga visa facilitar a troca de experiências entre apreciadores de vinho e segundo os promotores conta com a visita de 100 mil pessoas por mês, 10 mil registados. Em 2011 os promotores contam "lançar o Adegga Selection internationalmente e realizar a terceira edicao do Adegga Wine Market", explicou ao TeK André Ribeirinho.

[caption]Nome da imagem[/caption]

Existem ainda projectos como o amiguinhos.com (criado em 2002) ou o SouSocial, que não é fácil perceber se se mantêm no activo ou pelo menos com planos para evoluir nos próximos tempos. Também não foi possível contactar os promotores para esclarecer as dúvidas.

Com um aspecto pouco actualizado pode parecer também o TásCá, mas os promotores garantam que esta rede social para encontrar novos e velhos amigos continua a funcionar e com novas adesões todos os dias, que garantem algum dinamismo ao site. Da parte dos autores da plataforma não há no entanto planos para quaisquer desenvolvimentos futuros.



Fechamos esta visita a (algumas) redes sociais portuguesas com uma passagem pelo Sapo Spot. A plataforma nasceu em 2007 e continua activa, embora sem grande alarido dos promotores ou grandes vestígios de actualização. Apresenta-se como mais uma alternativa para quem procura um local para interagir e partilhar experiências.

[caption]Nome da imagem[/caption]

Como habitual, aceitam-se sugestões ou comentários de quem usa estas ou outras paragens de interacção Made in Portugal.

Cristina A. Ferreira

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.