No último relatório emitido pela Google sobre as atualizações de segurança do sistema operativo Android, e que deverá instalar assim que possível, existem duas situações de utilização banal do quotidiano que podem revelar-se uma dor de cabeça em caso de infeção, levando ao exploit ou usurpação do dispositivo.

Uma delas é uma imagem maliciosa em formato PNG (transparente) que pode executar remotamente um código contido no ficheiro, caso seja aberta em aplicações de chat ou de email. Se for infetado irá ativar um malware no dispositivo para aceder a privilégios avançados.

As correções eliminam ainda o perigo do smartphone ser infetado através de sinais de transmissão via remota, tais como o Bluetooth, por exemplo, que podem ativar um código arbitrário no contexto de um processo privilegiado.

Apesar do perigo presente nestas novas falhas de segurança, a Google tranquiliza, referindo que não tem informações sobre dispositivos infetados, ou qualquer tipo de abuso dos mesmos.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.