A gigante da internet e guardiã do Android quer que o tribunal declare que as empresas que usam o seu sistema operativo móvel não infringem qualquer patente, de modo a evitar futuros processos.

A Google acusa o Rockstar "não produzir qualquer produto, nem pôr em prática qualquer patente", dedicando-se apenas a analisar produtos de sucesso de outras empresas, em busca de algo que sirva para exigir o licenciamento das suas patentes, sob ameaça de litígio.

O consórcio liderado pela Apple, do qual também fazem parte a Microsoft, a BlackBerry, a Ericsson e a Sony, ficou conhecido por comprar o último lote de patentes da Nortel, empresa de telecomunicações canadiana que declarou falência em 2009.

O portfólio englobava seis mil "registos" que no seu total custaram 5,4 mil milhões de dólares e abrangiam desde sistemas de comunicação sem fios, a semiconductores. As patentes mais valiosas relacionavam-se com as tecnologias de comunicação móvel 4G e com a norma LTE.

Foi com base nestas mesmas patentes que o Rockstar processou a Google, a Asus, a Samsung e a LG em outubro último. E é este tipo de ações que a Google quer evitar a partir de agora.

Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.