O utilizador médio de dispositivos iOS tem 119 apps instaladas, um número que a Apple revelou esta semana e que tem servido para que nos últimos sete anos tenham sido descarregadas mais de 100 mil milhões de aplicações da App Store, gerando mais de 30 mil milhões de dólares para os programadores.




Não foi por inspiração destes números - nem por influência da conferência de programadores WWDC15, que se realizou no início desta semana - que a equipa do TeK escolheu o conjunto de aplicações nos últimos dias, mas a verdade é que por coincidência são quase todas para dispositivos iOS, embora algumas tenham também versões para Android.





Siga pelas próximas páginas para descobrir as aplicações de apoio à tradução, puzzles, exercícios para treinar o cérebro e jogos, claro. É garantido que vai poder adicionar funcionalidades extra ao seu smartphone ou tablet.





Linqapp coloca a força do crowdsourcing ao serviço da linguística

As traduções automáticas continuam a ser pouco fiáveis e não há nada como um “falante nativo” para garantir a boa tradução de uma expressão específica. É aqui que entra a Linqapp e todos os seus utilizadores. E você também pode ajudar.

A aplicação já tem mais de 50 mil utilizadores e a expectativa é de duplicar este número nos próximos meses, usando o “poder do povo”, leia-se crowdsource, para ajudar nas traduções mais simples ou mais complicadas.

Brasil e Médio Oriente já estão entre os maiores fãs do Linqapp, mas para crescer a Linqapp quer conquistar pessoas em vários países, e Portugal está na lista daqueles onde o objetivo é aumentar a base de utilizadores, “até porque foi onde a língua portuguesa teve origem” como explica João Jardim, um dos membros da equipa da startup localizada em Taiwan.

“A ideia para o Linqapp surgiu quando nos apercebemos, ao tentar usar tradutores automáticos como o Google Tradutor para, por exemplo, pedir comida em restaurantes aqui em Taiwan, que os mesmos apresentam limitações fortíssimas e pouco, ou mesmo nada, ajudam em línguas mais complexas como o Mandarim”, explicou ao TeK João Jardim, lembrando que em relação às línguas ocidentais as traduções automáticas são um pouco melhores mas estão ainda muito longe das respostas que um falante nativo pode proporcionar.

O conceito é simples: a qualquer momento que precise de uma tradução a uma palavra, uma frase ou uma expressão só tem de perguntar. Alguém da comunidade irá responder !

O objetivo não é ensinar línguas, uma área para a qual já existe alguma oferta, entre a qual está a app Duolingo. “Nós vemos a nossa app como o “colega” ideal dos estudantes de línguas. Aqui na Linqapp, adoramos, por exemplo, a app Duolingo, para o ensino de línguas”, justifica João Jardim.

Uma equipa “competente e apaixonada pela app”, com grande peso multicultural (e multilinguístico) é um dos pontos fortes da startup que se estreou nas aplicações móveis com a Linqapp, que quando colocou a aplicação em iOS conseguiu maior impulso.

Mas o crescimento do número de utilizadores não é o único objetivo: numa segunda fase – prevista para muito em breve – os melhores utilizadores, que revelarem competências de nível superior na tradução, podem ser requisitadas por outros utilizadores para prestarem serviços pagos, como revisões mais extensas, e edição de documentos, aplicações ou troca linguística, por exemplo.

A segunda versão da app vai estar disponível dentro de dois meses e terá ainda novas funcionalidades, que por enquanto estão “no segredo dos deuses”.

A app está disponível para download gratuito na App Store da Apple e na Google Play.



Veja a próxima aplicação

Jogo português Triangulae à conquista dos iPhone de todo o mundo

O jogo desenvolvido pelo programador independente Ricardo Fonseca é um desafio de destreza que faz lembrar o sucesso mundial Threes. A grande diferença está no objetivo: fazer quadrados a partir de triângulos.


Quantos triângulos são precisos para fazer um quadrado? No jogo Triangulae são quatro, mas a grande questão que se coloca é: quantos movimentos são necessários para construir o tal quadrado? A resposta não é científica, mas pode ser desafiante e divertida.

Aos jogadores é dado um tabuleiro de jogo onde existem triângulos de diversas cores e orientados para posições diferentes. O objetivo é conseguir juntá-los de forma correta por forma a produzir um quadrado.

O jogo tem três modos: um mais clássico onde o jogador deve tentar atingir a maior pontuação possível; um segundo ao género time attack no qual o maior inimigo é o tempo; e um terceiro, que não elimina os quadrados depois de criados, o que dificulta a movimentação de elementos pela área de jogo.

Triangulae foi desenvolvido pelo programador independente Ricardo Fonseca e está a ter algum destaque a nível internacional, tanto na App Store da Apple como na imprensa.

O jogo é um exclusivo do iOS e tem um custo de 1,99 euros.



Veja a próxima aplicação

Deezer: a música em streaming está mesmo em todo o lado


Com a chegada do novo serviço de música da Apple no horizonte, os concorrentes preparam-se para o embate. É o caso do Deezer que ganhou uma nova versão para iPad. Já experimentou?

O serviço é mais uma alternativa para quem gosta de música e é adepto do modelo streaming. Tem para oferecer um catálogo com mais de 30 milhões de músicas e 20 mil podcasts.


Na nova versão para iPad foram introduzidas melhorias que facilitam a pesquisa de temas, mas também foram afinadas as opções para personalizar os conteúdos tendo em conta as preferências do utilizador.



O Deezer tem uma versão gratuita, com publicidade, e uma versão premium que remove todos os anúncios e que tem um valor de subscrição mensal de 9,99€.



Veja a próxima aplicação

Ponha as células cinzentas a funcionar em boa forma com o BrainHQ

Algum exercício mental por dia, nem sabe o bem que lhe fazia. Já ouviu o ditado? Rima mas é verdade, e o treino da memória regular tem resultados comprovados como prova esta app.


Os neurologistas concordam que há alguns truques básicos para manter o cérebro na melhor forma à medida que vai envelhecendo: uma boa alimentação, exercício físico regular, algum tempo de meditação e atividades de exercício mental são elementos comuns a muitas estratégias



Como não podia deixar de ser, há imensas apps que tiram partido desta oportunidade, levando para o bolso dos utilizadores dezenas de exercícios e ou testes que podem ser realizados em qualquer lugar, e no momento mais oportuno.


O BrainHQ é uma delas e aposta num aspecto mais adulto que se diferencia de grande parte das apps de gamificação, apelando a um público mais maduro.



A app é gratuita na App Store para dispositivos iOS mas está ligada a um programa de treinos no website da empresa que disponibiliza alguns exercícios gratuitos mas que tem por objetivo a fidelização dos utilizadores em sistemas de subscrição que garantem o acompanhamento total do treino. E prometem resultados.



Veja a próxima aplicação

Será que pode ter um acidente na próxima viagem de carro? Há uma app que mede o risco
Considera-se um bom condutor? É daqueles que pensa que os acidentes só acontecem aos outros porque correm riscos desnecessários? Está na altura de tirar dúvidas e fazer um teste para saber se é mesmo assim. Só tem de instalar esta app.

A idade do condutor, a velocidade a que conduz, as condições meteorológicas, o tipo de veículo ou as horas de descanso são apenas alguns dos fatores relevantes para medir o risco de acidente.



A par de outros, como o histórico de acidentes em cada metro de estrada, estão na lista de aspetos considerados e ponderados numa aplicação móvel desenvolvida por alunos da Universidade de Aveiro, que permite avaliar, em tempo real, o risco de acidente.



Durante toda a viagem os passageiros vão recebendo informação sobre o nível de risco da viagem que estão fazer, tendo em conta os diversos fatores ponderados. A informação é apresentada por cores e numa escala de 0 a 100. Quando o nível de risco aumenta e se aproxima do máximo há um sinal sonoro para reforçar o aviso.



A aplicação foi desenvolvida por seis estudantes do 3º ano do curso de Engenharia de Computadores e Telemática do Departamento de Eletrónica, Telecomunicações e Informática (DETI).



Pode ser descarregada gratuitamente no Google Play e também tem um site de apoio onde fica registado o histórico de viagens e informação sobre os riscos corridos em cada um dos trajetos.



Veja a próxima aplicação

A arte e o engenho de Splish Splash Pong
Por vezes para criar uma aplicação de sucesso não é preciso muita coisa. Talvez essa seja mesmo a solução: ser minimalista, conciso e ser apelativo naquilo que faz. Pois assim até um patinho de borracha se destaca.

E o jogo Splish Splash Pong é justamente um jogo no qual o jogador controla um pato de borracha. Além da mecânica desafiante da aplicação, o destaque vai sem dúvida para a arte minimalista e para as cores apelativas usadas no título.

Aquilo que o jogador tem de fazer, basicamente, é jogar ténis de mesa com um pato. Enviar o animal de um lado para o outro de uma piscina para recolher moedas.

Claro que se apenas fosse isto, o jogo não teria grande sucesso. O segredo está na dificuldade que os animais “externos” vão colocando no nível. Tubarões pretos começam a atravessar a plataforma de um lado para o outro e adivinhe só qual o seu prato favorito.

A aplicação é gratuita e está disponível para iOS.

Acaba aqui a ronda de apps desta semana, mas amanhã há mais!

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.