Segundo a Google, a aplicação foi aperfeiçoada e agora percebe a linguagem natural e questões mais complexas. Na prática tal quer dizer que passou a entender não apenas as perguntas, mas também o sentido daquilo que está a ser perguntado.

A partir do blog Inside Search explicam-se as novas capacidades com alguns exemplos (em inglês), referindo-se que a aplicação passou a perceber o superlativo, quando se pergunta “quais os jogadores mais altos da equipa X?” ou “quais as maiores cidades do estado norte-americano do Texas?”.

Também passou a entender a relação com o tempo, ou mais especificamente as datas, sendo possível fazer perguntas ao género “que músicas lançou o cantor Y em 2014?”.

No final, é possível misturar tudo isto e fazer perguntas complexas como “Quem era o Presidente dos Estados Unidos quando os Angels ganharam a World Series?”, obrigando o assistente de voz da Google a perceber as diferentes partes “temporais” e “culturais” da questão, para que possa apresentar a resposta correta.

A equipa de pesquisas da Google avisa que o assistente de voz ainda está a “crescer e a aprender, o que significa que cometemos erros”, mas desafia os utilizadores a usarem a app da próxima vez que se sentirem curiosos acerca de alguma coisa “agora que estamos empenhados em perceber melhor as vossas perguntas, para podermos dar as melhores respostas para o que quer que seja que procuram”. 

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.