É a seleção semanal do costume no SAPO TEK para quem gosta de estar informado sobre as mais recentes novidades no universo das apps. Veja as nossas propostas navegando nos diferentes artigos, espreite as imagens e escolha as aplicações que mais lhe agradarem.

Com esta aplicação pode aprender línguas a ouvir… livros

Há várias formas de aprender uma língua estrangeira e a Beelinguapp propõe-lhe, como recurso base, os audiobooks. Há 13 idiomas disponíveis.

Escolha desde romances a histórias infantis, com textos "lado a lado" - para ler ou ouvir - entre a sua língua de referência a língua que quer aprender. Espanhol, inglês, alemão, português, francês, hindi, russo, turco, chinês, árabe, italiano, japonês e coreano são as 13 línguas disponíveis.

O objetivo é que leia ou ouça uma história em qualquer idioma, ao mesmo tempo que é guiado por uma animação. Tendo os dois idiomas "lado a lado", pode recorrer ao texto na sua língua nativa quando não perceber determinada frase.

A aplicação tem uma versão gratuita e está disponível para dispositivos Android e iOS. Depois do download, é escolher o idioma que quer aprender e selecionar o idioma que quer usar como referência. O acesso faz-se através de uma conta da Google ou do Facebook.

App portuguesa quer ajudar a denunciar quem não cumpre as leis de acessibilidade

Embora a lei obrigue a que todos os espaços públicos sejam acessíveis ainda são muitos aqueles que condicionam a mobilidade de pessoas com deficiência motora. Mas há uma aplicação para fazer queixa dos incumpridores.

A aplicação +Acesso para Todos foi criada pela Associação Salvador e, ao identificar a localização do utilizador num mapa interactivo, mostra todos os edifícios à sua volta, permitindo classificar os espaços em termos de acessibilidade, partilhá-los e denunciá-los.

Todas as denúncias sobre as situações que não cumpram os requisitos legais de acessibilidade e mobilidade em espaços públicos e privados são enviadas de forma imediata e automática para o Instituto Nacional para a Reabilitação e para as respetivas Câmaras Municipais, com o conhecimento da Associação Salvador.

A app também está ligada às redes sociais e ao Trip Advisor o que permite, ou seja, para além de  permitir ao utilizador a avaliação da acessibilidade do espaço, a +Acesso para todos também publica essa avaliação no Trip Advisor e nas redes sociais.

A aplicação gratuita foi lançada no início do mês de maio e está disponível para Android e para iOS.

Decode: esta app consegue identificar artigos falsificados apenas com um toque

O sistema é da autoria de uma startup nova-iorquina que já se encontra em negociações com 15 empresas para implementar a solução nos seus produtos.

O mercado de bens contrafeitos gera cerca de meio bilião de dólares por ano. O negócio é bom para os comerciantes que operam no sector, mas estes números não só afetam as marcas originais como podem prejudicar os consumidores menos cientes do que estão a adquirir. E é exatamente sobre este problema que a Blue Bite quer atuar.

A startup nova-iorquina criou um sistema, que funciona com base numa app móvel, capaz de identificar falsificações. A aplicação, a que a empresa chamou Decode, é capaz de analisar um objeto em poucos instantes, bastando para isso, que toque com o smartphone no artigo em questão.

A tecnologia por detrás deste sistema tem o RFID e o NFC como espinha dorsal, uma vez que o interesse das grandes marcas por estes sensores está a aumentar. Em consequência, isto significa que as empresas estão a investir na integração destes sensores nos seus produtos e que, no futuro, esta poderá ser uma das principais formas de aferir se um artigo é, ou não, verdadeiro.

O sistema da Blue Bite pode ser de grande utilidade para os consumidores que adquirirem um produto em segunda mão, por exemplo, uma vez que, nestes casos, não é frequente existirem grandes garantias sobre a qualidade e as origens dos objetos que se vendem e compram neste mercado, quer online, quer offline.

Para além de RFID, a Blue Bite integra também suporte para sensores NFC, HID, LAB ID e Smartrac, o que oferece diversidade às empresas interessadas em articular uma destas tecnologias com os seus produtos.

Uma das primeiras demonstrações que a empresa fez com este sistema contou com uma das bolas oficiais do Mundial de Futebol 2018. A Telstar 18 é fabricada pela Adidas e conta já com um chip NFC que permite o funcionamento deste sistema. Quem experimentou, diz que o processo de autenticação entre a app e a bola não demora mais de 10 segundos.

Depois de abrir a app, basta clicar na opção "authenticate" e tocar com o telefone na bola até que surja a mensagem de confirmação. Assim que a bola é verificada, aparece uma imagem do artigo analisado, o número de vezes que o artigo foi analisar e a primeira vez que o processo decorreu, o que poderá revelar se o sensor é original ou foi retirado de outro produto.

Adicionalmente, a app permite também que as marcas carreguem o sensor com links para experiências exclusivas, sendo que a tecnologia suporta funcionalidades de realidade aumentada.

A Blue Bite afirma que o sistema está pronto a utilizar, mas compreende que ainda há muito trabalho a fazer, principalmente no que toca à negociação com empresas possivelmente interessadas em aplicar esta tecnologia. Para já, há 15 empresas em negociações com a Blue Bite.

EnergyCat: o jogo com "toque" português que ensina a poupar energia em casa

Projeto internacional integra equipa de investigação portuguesa e pretende consciencializar as pessoas a poupar nos consumos domésticos, através de mudanças no quotidiano.

Energy Cat é uma aplicação desenvolvida desde 2015 por 30 investigadores internacionais e inclui uma equipa portuguesa do Instituto Superior de Engenharia do Porto (ISEP). O objetivo é ensinar às pessoas como poupar e reduzir o consumo de energia das habitações, através de atividades lúdicas, dicas e sugestões, que são apresentadas em formato de missões de um jogo.

O que distingue esta aplicação é estar conectada ao consumo real das casas, permitindo aos utilizadores analisarem, em tempo real, o consumo energético das suas habituações e atuar mediante o feedback proposto pelo jogo. As reduções de energia aplicadas são traduzidas em pontos, aumentando de seguida a exigência do jogo.

O projeto já foi testado no Reino Unido e já foram identificadas 90 casas que reduziram uma média de 5% do consumo energético. Os investigadores consideram o resultado promissor no alerta da necessidade da mudança dos hábitos de consumo.

O protagonista do jogo é um gato, que tem como missão observar as rotinas do seu dono e vizinhos, contribuindo para a melhoria dos maus hábitos. Segundo Luis Miguel Pinho, responsável pela equipa portuguesa no projeto, estão disponíveis dois modos de jogo, tendo o primeiro como objetivo melhorar a casa dos jogadores, utilizando os pontos amealhados ao longo da partida para adquirir eletrodomésticos mais eficientes e melhorar o isolamento.

No segundo modo são apresentados problemas ao jogador que os terá de resolver, como se fossem missões. Entre os objetivos, o gato terá de obrigar o dono a tomar o banho mais rápido, desligar uma máquina, que tenha sido posta a trabalhar durante o período de faturação mais caro. Deverá ainda descobrir e analisar quais as casas dos vizinhos são energeticamente mais eficientes.

O jogo foi submetido a um concurso internacional que destaca os projetos mais inovadores na área da energia sustentável. Pode fazer o download do Energy Cat para os dispositivos iOS e Android.

Com a nova app de transportes do Porto primeiro “Anda” e só depois é que paga

O Andante, título de transporte intermodal que permite viajar nos transportes públicos da Área Metropolitana do Porto, vai poder ficar em casa porque já só é precisa um smartphone. A conta chega no fim do mês.

Criada pela Transportes Intermodais do Porto (TIP), a aplicação Anda tem as mesmas regras do título Andante, sendo válida em transportes da STCP, Metro do Porto, em empresas de transportes privados que operam na linha do Andante e nos comboios urbanos do Porto.

Só vai ter que descarregar a aplicação, para já apenas disponível para Android, criar uma conta pessoal e associar um modo de pagamento (cartão de crédito, débito, MBWay).  O pagamento é feito à posteriori através de uma conta mensal, que vai ser calculada mediante a quantidade de viagens que faz.

Depois, tem que fazer login na aplicação sem esquecer de ligar os dados, o Bluetooth e o NFC (Near Field Communication). Por fim, é só encostar o telemóvel ao validador para iniciar uma viagem.

A app também permite consultar o seu histórico de viagens e custos associados, os quais poderão ser mais baixos que o atual sistema de transportes porque o Anda atribui a cada passageiro o tarifário mais favorável.

Qual é a distância de Lisboa a Moscovo? O Google Earth ajuda a medir

Não faltavam razões para explorar a Terra com o Google Earth, mas agora a app para smartphones e browser tem uma nova ferramenta de medida.

A nova funcionalidade foi anunciada na última semana de junho, mas por enquanto só está disponível para a aplicação Android e para o Chrome.

A função "medir distância" permite agora verificar qual é a distância de Lisboa a Moscovo, ou a Reiquiavique. Ou até à praia mais próxima, se quiser ser mais modesto. Mas também pode medir áreas, seja o jardim da sua casa ou a dimensão de um estádio do Mundial 2018.

A nova perspectiva vem adicionar novas formas de navegar nos mapas que a Google foi criando, e nas várias camadas do Google Earth. Visualizar a cidade de Lisboa ou do Porto a partir do céu, aplicar a vista 3D ou "entrar" nas ruas com o Street View continuam a ser uma boa forma de explorar o mundo fantástico com a ajuda do smartphone ou do computador. É só colocar a app nas mãos de uma criança para ver novas possibilidades.

A Google promete para breve uma versão para iOS.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.